quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

NOTA DE IMPRENSA DA C.M.A:

Concerto Didático encerra Programa para a Educação Patrimonial – 2014

O Alandroal foi o local escolhido pela Direção Regional de Cultura do Alentejo para a realização de um Concerto Didático de encerramento da 3ª edição do Programa de Sensibilização para a Educação Patrimonial a acontecer dia 26 de outubro, às 17 horas, no Auditório do Fórum Cultural.
O concerto, a realizar pela Brass Band da Casa do Povo de Lavre e cuja entrada é livre, dirige-se ao público em geral e integra as Comemorações do Mês da Música, contando com o apoio da Câmara Municipal de Alandroal.
A 3.ª edição do Programa de Sensibilização para a Educação Patrimonial, que se encontra a decorrer desde março passado, tem por objetivo a formação de públicos e a sensibilização da faixa etária infantojuvenil para a importância da preservação e valorização do património cultural imóvel.





VAMOS FALAR DE CINEMA NO ALANDROAL

Por certo todos aqueles que visitam o Al tejo, já repararam da minha apetência pelo cinema. Prova-o a manutenção da rubrica “Cine Clube Domingos Maria Peças”, e pela frequência com que coloco vídeos alusivos a coisas de cinema.
Desde a adolescência que procurei no cinema o alargar de conhecimentos, ao mesmo tempo que por intermédio do mesmo foi possível aperfeiçoar o aspeto cultural e do saber.
Para quem se habituou desde jovem a “devorar” os filmes do Peças, a deslocar-se com outros amigos a Vila Viçosa para assistir a inesquecíveis projeções, mais tarde assíduo frequentador do Cine Povoense, a não perder uma sessão no desaparecido Salão Central, a ter lugar cativo no Cine Teatro de Reguengos, quando por estas localidades exercia a minha profissão, a ser fiel espectador do Curvo Semedo aqui em Montemor, enquanto o mesmo projetou cinema, não posso deixar de ter uma certa inveja dos meus conterrâneos residentes no Alandroal.
Felizardos é a palavra que me ocorre sempre que aqui dou conhecimento dos filmes que com a devida frequência são projetados no Alandroal.
Já repararam que por exemplo Évora, a capital do distrito, com o encerramento do Centro Comercial Eborim deixou de ter cinema, a não ser o levado a cabo por instituições particulares? Que em Montemor deixou de ser possível ver cinema no Curvo Semedo, motivado pelo desconforto do tamanho do Cine Teatro? Que os habitantes destas localidades para verem Cinema em 3D terão que se deslocar a Setúbal ou ao Montijo?.
Com frequência por aqui aparecem comentários lamentando e insinuando que a oferta cultural no Alandroal se limita ao Cinema. Não é verdade, mas mesmo que assim fosse, não poderia deixar de considerar que não é dado o justo valor à felicidade de ter à mão de semear este meio de cultura.
Certo é que graças às últimas presidências autárquicas o Alandroal pode orgulhar-se de ser uma localidade onde a sétima arte dá cartas. Nabais que criou um excelente espaço físico, dotado das melhores condições de conforto e sonoridade, que dá pelo nome de Forum Cultural Transfronteiriço. Grilo que foi pioneiro na aquisição da mais moderna tecnologia em matéria de projeção com a aquisição de máquina 3D. E por último Mariana Chilra que tem levado a cabo uma programação cinematográfica com a exibição dos filmes mais recentes.
Ir ao Cinema é um meio de integração no mundo que nos rodeia, é aprender, é recordar, é adquirir conhecimentos, é desenvolvimento, é motivo de discussão, de trocar pontos de vista. Ir ao Cinema é ter Vida e saber vivê-la.
Vá ao cinema
Chico Manuel



A CRÓNICA DE OPINIÃO TRANSMITIDA HOJE PELA RÁDIO DIANA/FM

                     Regressar ao passado ou preparar o futuro

Quarta, 22 Outubro 2014 07:39
No passado dia 15 de Outubro foi entregue pelo actual governo a proposta de Lei que suporta o orçamento de Estado para o ano de 2015. O documento na linha do que o Governo tem defendido nestes anos que leva de governação, não tendeu para a demagogia fácil e muito menos é um orçamento eleitoralista.
Todavia, compreende medidas que vão ao encontro dos mais desprotegidos e dos mais carenciados, colocando o fim dos cortes nos valores das pensões e reformas com valores até €4 600,00. As 500 mil famílias com direito à tarifa social de energia, terão uma redução de 34% na fatura da eletricidade.
Por outro lado, é amiga do consumo e do investimento, aliviando em 20% a redução remuneratória sobre os funcionários públicos, com vencimentos superiores a 1500 euros e reduz a taxa do IRC em 2%.
Na verdade, a proposta de orçamento apresentada pela actual maioria é a primeira sem o comando e a supervisão da TROIKA. De resto, afastou-se inequivocamente, do pensamento que deu forma à proposta de orçamento apresentada em 2009, que, no pico da crise nacional e internacional, propôs aumentos dos vencimentos na função pública de 2,9 % e previsões do crescimento absolutamente irrealistas. Não me lembro, todavia, para além dos Medinas Carreira destes país, de alguém proeminente se ter insurgido contra tanta irresponsabilidade.
Pelo que, os que criticam o actual orçamento, afirmando que a carga fiscal é brutal, não o desminto, porque se trata de um facto, não os vi a defender com mesma veemência a redução da despesa do Estado no que toca ás remunerações, pensões e reformas que ultrapassa os 70% da despesa total. A pergunta impõe fazer-se; se a redução da despesa tem, na maioria das vezes, um entendimento inconstitucional, como é que se faz para reduzir a receita, mantendo este nível de despesa. Não conheço em parte alguma, a existência de sol na eira e chuva no nabal.
Relativamente à discussão que corre nos media a despeito da marcação das próximas eleições legislativas, se devem ou não ser marcadas no primeiro semestre de 2015, em virtude da proposta de orçamento de Estado ter de ser apresentada até ao dia 15 de Outubro e se deverá ser o governo eleito ou o que está em funções a fazê-la. Em tese, é uma questão que deve ser colocada, a da legitimidade. Se o governo eleito terá de ficar condicionado na execução do seu programa pelo facto de não poder conceber o seu orçamento atento o prazo previsto para a realização das eleições legislativas, que, nos termos da Lei, deverão ter lugar entre 14 de Setembro e 14 de Outubro.
Porém, mudar as “regras” no fim da legislatura, só poderá ser por motivações de puro e bacoco tacticismo político-partidário, é para mim perverter a discussão politica democrática e conduzi-la para lugares distantes da credibilidade e aproximação dos cidadãos à Coisa Pública.
José Policarpo


SÍNTESE DE NOTÍCIAS REFERENTES AO ALENTEJO

As crianças de Terena vão continuar a ter aulas no contentor instalado na freguesia “até à data em que estiverem concluídas as obras do Polo Escolar de Terena”. (Afirmação de Mariana Chilra, Presidente da C.M.A., à Rádio Campanário)

O 12.º Festival Internacional de Curtas Metragens (FIKE) recebeu 1004 curtas-metragens. A partir desta terça-feira, e até sábado, o festival mostra ao público os 39 filmes selecionados, no Auditório da Universidade de Évora e, pela primeira vez, também no Teatro Pax Julia, em Beja.

Mais de 9500 pessoas não quiseram perder a oportunidade de provar diversas variedades de dois produtos pelos quais o Alentejo é bem conhecido e marcaram presença na sexta edição do evento «Grande Prova Mediterrânica – Azeites e Vinhos do Alentejo», que teve lugar no Centro Cultural (CCB), em Lisboa, a 17 e 18 de outubro.

Vai ser estudado e restaurado o fresco descoberto nas arcadas da Rua João de Deus, junto à Praça do Giraldo, no centro histórico de Évora.

Esta quarta-feira, os termómetros continuam a atingir temperaturas de Verão. O Sul lidera no calor, com Sagres e Beja a atingirem temperaturas máximas de 33º e 32º respectivamente.


A Ribeira do Raia no concelho de Mora vai acolher em 2015 os Campeonatos do Mundo de Pesca Desportiva de Veteranos e de Pescadores Portadores de Deficiência.

IMPRENSA




ALENTEJO DE CULTURA & DE LAZER


terça-feira, 21 de Outubro de 2014

ÚLTIMA HORA


                          Notícia Rádio Campanário que pode consultar clicando AQUI 

INFORMAÇÃO DA C.M.A.

Alandroal acolhe Jornadas Europeias do Património

A Câmara Municipal de Alandroal em parceria com a Junta de Freguesia de Evoramonte e a Aldeias Históricas de Portugal prepararam para o próximo dia 25 de outubro umas jornadas dedicadas à descoberta da salvaguarda do património monumental. A iniciativa está subordinada ao tema “Castelos e Fortalezas” e decorre nas duas localidades, Alandroal e Evoramonte, constando do programa um seminário referente ao tema, para além das visitas à Fortaleza de Juromenha e aos castelos das referidas povoações.
O evento é aberto ao público assegurando a organização transporte para as deslocações.




CRONICA DE OPINIÃO TRANSMITIDA HOJE NA DIANA/FM


                                            Auctoritas

Terça, 21 Outubro 2014 09:54
Hoje apeteceu-me o latim. Eu sei, eu sei que isto é coisa lida e escrita por uma infinitesimal parcela da população mundial, nas universidades e nos seminários, de que ainda ouvimos por vezes ecos nas barras dos tribunais.
Mas isto também não quer dizer que a cronista, uma quase leiga nesta matéria, possa pensar que as e os ouvintes ou leitores da Diana FM se assustem com este ressuscitar do latim. (Se chegaram até aqui…) Uma língua de que os latinistas não aceitam, lá com as fortes razões que lhes assistem, a morte. E descambar assim a pena, que é como quem diz a tecla, para o latim não deixa de ser uma homenagem a estes estudiosos de uma língua tão imperial. A palavra escolhida, e o conceito que se lhe aplica, foi auctoritas.
Este termo não é traduzível e a portuguesa "autoridade" é apenas uma parte do significado da palavra latina. Da auctoritas também se trata, por exemplo, na literatura para se falar de textos muito antigos em que procurar-lhes a autoria não é questão de encontrar o indivíduo que teria feito o texto, mas os modelos que imitava, digamos assim, e que assumiam desta forma, enquanto auctoritas, a paternidade textual, sendo por isso aceites como seguindo uma regra validada.
A palavra auctoritas deriva, aliás, de auctor, que não o que é construtor mas antes o que inspirou a obra. Na base está um verbo que significa aumentar, desenvolver, fazer crescer, tornar mais forte alguém ou alguma coisa, pelo que aauctoritas, no seu sentido etimológico, tem a ver com exemplaridade, modelo, prestígio ou conselho. Auctor é assim o que promove com o seu exemplo e conselho o bem de uma coisa. Tão diferente da sua banalização traduzida em autoridade e que se mistura obviamente com poder. E que, além do mais, é treslida quer por tantos que a exercem abusivamente, quer por outros tantos que a julgam preconceituosamente quando bem exercida!
E é, por isso, que uma semana passada sobre o aniversário de Hannah Arendt, uma filósofa política que muito fez avançar sobre os conceitos de totalitarismo, relembro hoje definições de autoridade que aparecem em qualquer enciclopédia e que recolocam o termo no seu lugar, para que a ação corresponda à palavra: a autoridade é uma capacidade de influenciar os outros graças a uma certa superioridade por estes reconhecida;  é o direito de dar uma ordem, de tal maneira que o comando seja obedecido sem que seja questionado tal direito; é o poder que é aceite, respeitado, reconhecido e legitimado.
No direito romano, e para regressar ao latim, é definida por auctoritas uma certa legitimação socialmente reconhecida, que procede de um saber e que se outorga a alguns cidadãos. Exerce a auctoritas uma personalidade, ou instituição, que tem capacidade moral para emitir uma opinião qualificada sobre uma decisão. E se bem que tal decisão não seja vinculativa legalmente, nem possa ser imposta, tem um valor de índole moral muito forte. Parece mais difícil do que apenas dizer «quem manda aqui sou eu!».
Claudia Sousa Pereira

POEMA ILUSTRADO DA LISETTE


RESUMO DE NOTÍCIAS REFERENTES AO ALENTEJO

Mais de 9.500 pessoas visitaram a sexta edição do evento “Grande Prova Mediterrânica – Azeites e Vinhos do Alentejo”, que aconteceu nos dias 17 e 18 de outubro no CCB, e que contou com a presença de 40 azeites e mais de 400 vinhos do Alentejo, de um conjunto de 94 produtores.

A Universidade de Évora acolhe até sexta-feira a reunião semestral do European Bird Census Council, uma organização europeia responsável pela promoção e coordenação de programas de monitorização de aves no espaço europeu.

O PS de Évora aprovou uma proposta de deliberação para aplicar uma amnistia aos militantes com quotas em atraso e abolir a norma estatutária que os impede de votar em eleições internas.

 A Santa Casa da Misericórdia de Borba irá inaugurar no mês de novembro um pavilhão multiusos integrado na "Aldeia Social" da instituição.
Segundo avança a  Rádio Campanário em primeira mão,  este pavilhão irá ser inaugurado no próximo mês de novembro, pelo Presidente da Republica, Aníbal Cavaco Silva

Arrancou o Festival de Curtas Metragens de Évora. A edição deste ano do FIKE realiza-se até sábado, em Évora e Beja, e vai contar com 39 filmes de 16 países em competição. Os filmes em competição abrangem as categorias de ficção, documentário e animação e são oriundos da Polónia, Israel, Irão, Iraque, Roménia, Itália, Letónia, Estónia, Suíça, Holanda, França, Itália, Alemanha, Reino Unido, Espanha e de Portugal.

IMPRENSA DO ALENTEJO