sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

CADA VEZ SURGEM SITUAÇÕES MAIS COMPLICADAS



LEIA E OIÇA AQUI PORQUÊ,

SUGESTÕES PARA O FIM-DE-SEMANA

                                          ALANDROAL







                                                                   ORVALHOS


                                                                    ELVAS (S. MATEUS)



                                                                   OUTRAS LOCALIDADES


                                               SE TIVER OPORTUNIDADE ....APROVEITE !

                                                         FESTIVAL CAIXA ALFAMA




INFORMAÇÕES TRANSCRITAS DO "SITE" DA C.M.A.

              Câmara Municipal homenageia militares da Escola Segura
 Inserido na Semana da Educação, a Câmara Municipal de Alandroal e o Agrupamento de Escolas homenagearam ontem, dia 18 de setembro, a memória dos dois militares da Escola Segura, falecidos a 23 de junho, vítimas de acidente de viação na estrada nacional 256 que liga Évora a Reguengos de Monsaraz.
A cerimónia decorreu no Fórum Cultural de Alandroal e contou com a presença de familiares e amigos das vítimas, militares dos destacamentos de Évora, Reguengos de Monsaraz e Alandroal, executivo municipal, direção do agrupamento de escolas e crianças do concelho que quiseram recordar uma vez mais o valor, a coragem, a amizade e a dedicação dos militares, Maria João Moura e António Godinho, no desempenho das suas funções. 
O momento ficou marcado pela emoção e pelo gesto das crianças que declamaram poemas em homenagem às vítimas, entregando uma rosa branca aos familiares e militares presentes, como agradecimento pelo trabalho que fazem em prol da comunidade.



                       Professores recebidos nos paços do concelho

No arranque de mais um ano letivo a autarquia fez questão de saudar os professores do Agrupamento de Escolas de Alandroal dando-lhes as boas-vindas com uma pequena receção no edifício sede da Câmara Municipal, ontem, dia 18 de setembro.
Da cerimónia fez parte a visita às escolas do concelho, nomeadamente Pias, Hortinhas e Alandroal na qual os professores tiveram a oportunidade de conhecer os locais de ensino existentes, ao mesmo tempo que conheciam e conviviam de forma informal com os membros do executivo e com os novos colegas.
A receção ao professor já não acontecia no Alandroal há alguns anos e autarquia mostra-se satisfeita com o recuperar da tradição.



CRÓNICA DE OPINIÃO TRANSMITIDA PELA RÁDIO DIANA/FM

                                                           http://www.dianafm.com

                            A competitividade de Portugal

Sexta, 19 Setembro 2014 09:08
Soubemos recentemente que Portugal subiu 15 lugares no ranking mundial da competitividade. Somos agora o 36º país mais competitivo num total de 144 países.
O índice global da competitividade do Fórum Económico Mundial faz a avaliação das diferentes economias através de um conjunto de fatores que determinam a produtividade e prosperidade dos países.
A Europa tem 6 países nas 10 primeiras posições. Senda a liderança assumida pela Suíça pelo sexto ano consecutivo, a Finlândia na 4ª posição, a Alemanha (5º), a Holanda (8º), o Reino Unido (9º) e a Suécia (10º). A Espanha está posicionada na 35ª posição mantendo assim a posição conseguida no ano anterior.
Esta subida de 15 lugares é particularmente importante para Portugal. Ela é certamente o resultado de um conjunto de reformas estruturais entretanto implementadas. Ela mostra a competitividade do país. Ela indica que somos competitivos e que poderemos melhorar a nossa competitividade, especialmente quando conseguirmos resolver problemas tais como o endividamento da país, o seu excessivo deficit, pese embora este apresente hoje uma taxa abaixo dos 5%, 4,9% em 2013 e será expectável atingir os 4% em 2014, e também a resolução dos problemas existentes no sector financeiro. Contudo, Portugal melhora em praticamente todos os fatores, e apresenta posições cimeiras nas infraestruturas (estradas, portos e aeroportos), na inovação e na qualificação dos recursos humanos.
A estabilidade governativa que se conseguiu num período particularmente difícil para o país, também é algo que importa sublinhar, porquanto dela depende, em muito, a posição conseguida neste ranking. Governar sob um programa de assistência não é o mesmo do que governar sem ele.
É certo que no passado, e neste mesmo índice, Portugal já esteve na 22ª posição. Contudo não poderemos e não devemos desvalorizar a posição agora ganha. Queremos um país mais competitivo, mais produtivo e mais justo e tudo o que conseguirmos para o atingir é positivo.
A competitividade favorece o investimento e será com mais investimento que iremos reduzir aquele que é o nosso principal
problema e para o qual deveremos dedicar os nossos esforços, pois é imperioso continuar a reduzir a taxa de desemprego.
Sou positivo e será com persistência e positividade que Portugal conseguirá ultrapassar uma fase que todos certamente queremos não voltar a recordar.
Rui Mendes

LASTIMÁVEL SENHOR MOURINHO


                                       ATITUDE VERGONHOSA MOURINHO ! (Não é a primeira vez).

Jorge Jesus não quer “polémicas” com Mourinho
“Não quero polémicas, para bem do futebol português. Estamos muito longe um do outro. Não vamos alimentar mais polémicas”
Eu também sou português. Para mim as coisas acabam aqui.”

                                                   ATITUDE NOBRE JESUS.
                 NEM SEMPRE CULTURA É SINÓNIMO DE BOA EDUCAÇÃO !

DESPORTO PARA O FIM-DE-SEMANA

FUTEBOL

Distritais de Évora

Divisão de Elite
Perolivense – Lusitano
Oriola – Juventude
Lavre – Viana
Borbense – Redondense
Cabrela – Monte Trigo
Escouralense – Calipolense.

Divisão de Honra
Canaviais – Santana do Campo
Portel – Cortiço
Corval – Outeiro
Alcáçovas – Valenças
Arraiolos – Estremoz.

NACIONAL DE SÉNIORES – Série G
Fabril – Sintrense
Sacavenense – 1º Dezembro
Loures – Malveira
União – Cova da Piedade
Pinhalnovense – Casa Pia.



SÉRIE H
Lagoa – Moura
Aljustrelense – Lusitano V.R.S.A.
Louletano – Quarteirense
Ferreiras – Reguengos
Praiense – Angrense

PARTICULAR
Monfortense – Alandroal United
Atletico Reguengos (Juvenis) - Amigos S. Bras dos Matos






Pedido de divulgação





EM MEMÓRIA – Artigo de Augusto Mesquita

                 
  Faleceu Manuel Malta da Costa  -  Figura ímpar do hipismo mundial

                No pomposo monte alentejano construído na Herdade do Barrocal das Freiras, nasceu no dia 19 de Junho de 1946, Manuel Malta da Costa, filho de Filipe Malta da Costa e de Maria Augusta da Purificação Aldegundes Leça da Veiga Cardoso Malta da Costa.
                Deu os primeiros passos, acompanhado pelos mais diversos animais existentes na herdade, mas foram os poldros os seus favoritos. Fez a instrução primária na escola existente na própria Herdade do Barrocal, e, nas horas vagas começou a montar.
                De vez em quando, o jovem Manuel, conhecido por “Manolete”, deslocava-se até à vila para visitar os avós paternos, que residiam no Largo Joaquim Pedro de Matos. Aproveitava o ensejo para conviver com a malta das suas relações.
                Uns anos mais tarde, fruto de muito trabalho e dedicação, o novel cavaleiro montemorense começou a competir, e a somar vitórias. Estes desempenhos abriram-lhe a porta do êxito, pois o nosso conterrâneo, com apenas 19 anos de idade sagrou-se Campeão de Portugal.
                Malta da Costa, como era conhecido no mundo do hipismo, foi considerado um dos melhores cavaleiros portugueses de sempre, e com 39 anos de idade, integrou a delegação portuguesa nos Jogos Olímpicos de 1985, em Seul, onde se classificou em 33.º lugar na prova individual masculina de saltos de obstáculos.
                No currículo, juntou também vitórias em vários concursos internacionais, sendo o único cavaleiro a ganhar por quatro vezes o Grande Prémio de Gijon, em Espanha.
                Em Portugal venceu entre outros concursos, o Grande Prémio de Lisboa, no Concurso Internacional de Saltos, realizados em 1967 e 1979.
                Em Lisboa, Madrid, Roma ou Bruxelas, Malta da Costa chegou a ser eleito o melhor cavaleiro em prova.
                O nosso patrício resolveu fixar-me primeiro no Brasil, e depois, transferiu-se para Espanha. Em ambos os países, o notável cavaleiro instalou escolas de equitação, e no país vizinho, teve como aluna a infanta Elena, irmã do rei de Espanha.
                O famoso cavaleiro dava ultimamente aulas de equitação em Santander (Espanha), e foi aí que se começou a sentir cansado e sem forças, sendo internado no hospital daquela cidade espanhola, e transferido depois para o Curry Cabral em Lisboa, e daí para o Instituto Português de Oncologia.
                Nos últimos dias, recebeu no IPO, entre outras, a visita de Rosa Mota, do cavaleiro Francisco Caldeira, e da infanta Elena. Morreu na segunda-feira, dia 18 do passado mês de Agosto, aos 68 anos de idade, vítima de cancro.
                Depois da missa de corpo presente, realizada na quarta-feira seguinte, na igreja de Santo António do Estoril, o cortejo fúnebre caminhou para Montemor-o-Novo. Depois de mais uma cerimónia religiosa realizada na Igreja de Nossa Senhora da Luz, o funeral seguiu para o Cemitério de S. Francisco, onde a urna ficou depositada no jazigo da família Malta da Costa. Entre os acompanhantes do cortejo fúnebre, figurava a já referida infante Elena de Espanha, sua antiga aluna.
                Os principais jornais e revistas portugueses, assim como jornais brasileiros, italianos, belgas e espanhóis, noticiaram a morte do prodígio da arte de saltar a cavalo, os diversos obstáculos existentes nos concursos hípicos, sendo quase sempre, o cavaleiro com menos penalizações, e aquele, que fazia o percurso mais rápido.
                “A Folha” solidariza-se com o pesar de seus familiares.

Augusto Mesquita – Setembro 2014
Editado na “Folha de Montemor” em Setembro 2014 e transcrito com autorização do Autor.




Tambem durante esta semana (17/09)  Vital, guarda redes internacional, que entre outros Clubes se destacou no Lusitano (ainda na 1ª Divisão Nacional) e representou entre outros o Vitória de Setubal e o União de Montemor (onde alem de jogador foi tambem treinador) nos deixou.
Que descanse em Paz
Chico Manuel






quinta-feira, 18 de Setembro de 2014


Nota do autor: Para saber mais coloque o ponteiro do rato sobre as imagens.
Também sobre os números a vermelho e click para noutra página ler informações úteis.

Para voltar ao Poema feche a Página da Ajuda no X.

CRONICA DE OPINIÃO TRANSMITIDA HOJE NA RÁDIO DIANA/FM


Quinta, 18 Setembro 2014 09:35
Nas últimas eleições para o parlamento europeu, o MPT obteve um resultado histórico à conta do mediatismo e do discurso populista do seu cabeça de lista.
O resultado foi tão surpreendente que até o segundo da lista acabou por ser também eleito para Bruxelas.
Todos ficámos a perceber que foi o candidato que escolheu o partido, como barriga de aluguer das suas ambições pessoais.
Ainda os foguetes se ouviam e as canas não tinham caído ao chão e já o recém eleito “homem providencial”, de quem não se conhecia uma ideia ou proposta, admitia que poderia ser candidato à Assembleia da República, à Presidência da República ou à mesmo administração do condomínio.
Depois das peripécias acerca de que grupo político deveria integrar, o grande moralizador da política, o homem que diz as verdades todas, abandonou a barriga de aluguer, que usou no seu interesse pessoal, descobrindo-lhe fragilidades inimagináveis.
Diz o grande combatente, entre outras coisas, que o MPT é um partido “fechado para cinco pessoas” o que é surpreendente para alguém que provavelmente achava que tal partido era um grande partido de massas com implantação nacional.
Concluindo este processo de afastamento o dito cujo já anunciou que irá criar um novo partido para concorrer à Assembleia da República, deduzindo eu que a um partido fechado para cinco pessoas prefira um partido criado para uma pessoa só.
Poder-se-ia pensar que sendo um partido criado à sua imagem pelo menos não haveria lutas fratricidas e estaria garantida a coerência da linha política a seguir, mas depois de ler e ouvir as declarações do futuro líder, ideólogo e organizador, percebe-se que as lutas internas vão ser terríveis.
Embora ainda esteja a escrever a declaração de princípios do seu próprio partido, já sabe que quer seguir uma ideia que atribui a Margaret Thatcher de “voltar à base da república e do republicanismo” mas “com um conteúdo progressista”.
Por outro lado afirma-se como um homem de esquerda e admite fazer entendimentos “menos formais” com o PS, o PSD e o PCP, excluindo o CDS “porque é um partido muito instável, populista e sensacionalista”, ou seja, deduzo eu, por ser um concorrente direto na postura e na linguagem.
Assume então como a grande ideia fundadora “o combate ao medo”, embora não especifique a que medo em particular se refere.
Tudo isto seria motivo de riso, se a desesperança, para onde os partidos que nos governaram durante mais de três décadas nos atiraram, não criasse a perigosa oportunidade do aparecimento de caudilhos de verbo fácil capazes de juntar no mesmo saco o número de votos suficientes para determinarem políticas concretas com consequências concretas.
Já vimos este filme aqui e noutras latitudes com as trágicas consequências que são conhecidas. É gente para levar a sério.
 Até para a semana
Eduardo Luciano


SÍNTESE DE NOTÍCIAS REFERENTES AO ALENTEJO

O Azeite do Alentejo marcou presença na 1ª Feira Internacional de Negócios em Olivicultura, que se realizou no início do mês, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. O azeite Relíquia, produzido na Vidigueira, arrecadou uma medalha de prata no Concurso de Azeite Virgem.

 O Turismo de Portugal organiza quinta-feira, 18 de setembro, às 14h30, na CCDR do Alentejo, em Évora, a segunda conferência pública para a elaboração de um Plano de Ação para o desenvolvimento do turismo do país e das regiões até 2020, que visa enquadrar as prioridades para a utilização dos fundos comunitários no Turismo.

Vinhos: No Alentejo, a Sogrape espera "uma qualidade excepcional, para a qual contribuíram as reservas de água do solo" e as temperaturas pouco elevadas de Julho e Agosto. A quantidade será semelhante à do ano passado". Também o Esporão, que tem no Alentejo a sua maior propriedade vinícola, prevê "uma colheita com muita qualidade, com uma quantidade média por hectare dentro dos parâmetros normais". A Azamor, que explora a herdade alentejana do Rego, espera "menos quantidade que no ano passado, mas ainda melhor qualidade - com potenciais de álcool de 13,5 a 14% e perfeita acidez, o que é muito raro.

O Município de Estremoz reconheceu esta quarta-feira, 17 de setembro, em reunião de câmara, a Produção de Figurado de Barro de Estremoz como Património Imaterial de Interesse Municipal, processo que vai ainda ser submetido à Assembleia Municipal para finalização do processo de classificação.

 A autarquia de Vila Viçosa deliberou relativamente ao IMI aplicar a taxa mínima que a lei permite, 0.3% para os prédios urbanos, 0,8% para os prédios rústicos e ainda elevar para o triplo a taxa nos casos de prédios que se encontrem devolutos há mais de um ano e de prédios em ruinas.

A Câmara Municipal de Évora e a Universidade irão assinar dentro em breve um acordo de colaboração com vista à otimização de recursos no âmbito de um projeto que visa a reconstituição digital da cidade de Évora.





SOBRE A IMPRENSA NACIONAL DE HOJE



                                          ORA ESSA ! .... MAS NÃO HÁ UM QUE SE SAFE?


                            QUEM HAVIA DE SER?  A CULPA É SEMPRE DO MAIS FRACO !



                                             DE CERTEZA QUE NÃO TÊM O COLARINHO BRANCO

TAUROMAQUIA

                                                      CORRIDAS PROGRAMADAS






O ALANDROAL NA IMPRENSA NACIONAL

Alandroal gastou 607 mil euros numa biblioteca que nunca foi concluída
A obra iniciada em 2005 estava quase concluída em 2007 mas a falência do empreiteiro suspendeu a construção. Agora o município está obrigado a devolver 370 mil euros, uma verba de que não dispõe.
O novo edifício da biblioteca municipal de Alandroal, programado para integrar a Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, está praticamente concluído mas já apresenta evidentes sinais de degradação nas suas instalações e equipamentos. “A situação que temos é muito desoladora”, lamenta a presidente da Câmara, Mariana Chilra, explicando que os trabalhos estão parados desde 2007 após a falência do empreiteiro.
Quando assumiu funções, em 2013, a autarca deparou-se com um edifício em fase final de conclusão mas que já apresentava os “tectos falsos a cair aos bocados”, as redes eléctrica, de água e esgotos “danificadas” e as tubagens do sistema de ar condicionado “entupidas com ninhos de pássaros”. A recuperação destes equipamentos “vai exigir um tratamento volumoso em termos de custos”, antecipa Mariana Chilra, frisando que “a disponibilidade financeira que o município dispõe para fazer face à sua gestão normal situa-se nos 96 mil euros mensais”, o que torna inviável assumir mais este encargo.
Mariana Chilra salienta o excesso de endividamento no ano de 2010 e o incumprimento dos pagamentos em atraso relativo aos anos de 2011 e 2012.
Neste cenário de dificuldades financeiras, a autarca soma uma dívida de quase 370 mil euros à Comissão Coordenadora de Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo. A autarquia recebeu este montante do III Quadro Comunitário de Apoio para a construção da biblioteca. "Como a obra não ficou concluída até 31 de Dezembro de 2013 somos forçados a devolver o dinheiro que não temos”, assume a autarca.
Mariana Chilra disse ao PÚBLICO que já reuniu com a CCDR Alentejo a quem propôs o pagamento faseado dos cerca de 370 mil euros, em 84 prestações mensais, para sair “de uma situação de incumprimento e apresentar uma nova candidatura que permita concluir a obra”, mas ainda não recebeu resposta à solução apresentada.
O contencioso que está a ser dirimido com a CCDR estende-se à Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB) que disponibilizou uma verba de 240 mil euros para o projecto do Alandroal. A autarca critica o comportamento da anterior gestão municipal por ter “descurado” as obrigações a que estava sujeita por força da candidatura que tinha apresentado à DGLAB para a construção da biblioteca.
Na consulta que o PÚBLICO fez à acta da reunião ordinária da Assembleia Municipal de Alandroal de 4 de Setembro de 2010, João Grilo, o presidente da câmara então em funções, explicou que quando assumiu funções em 2009 “já se tinha perdido o financiamento para concluir a obra e, ao mesmo tempo, estavam a pedir a devolução do dinheiro que já tinha sido investido ”.
"Assim, teríamos que arranjar um milhão de euros para acabar os trabalhos”, realçou João Grilo, garantindo que procurou negociar com as “entidades competentes” uma solução de financiamento que permitisse terminar o projecto. Como não foi possível superar o impasse a autarquia recusou-se "sempre a assinar qualquer acordo de devolução do dinheiro”, assumiu o então presidente da câmara, comprometendo-se a “arranjar forma de concluir a obra”, o que não foi conseguido.
Mariana Chilra adianta que o teor das informações entretanto facultadas pela DGLAB revelam que este organismo efectuou vários contactos com a câmara do Alandroal para que fornecesse elementos sobre o estado da obra. “Durante quatro anos, o anterior executivo nem sequer se dignou informar que os trabalhos estavam parados”, acusa. “Só com a nossa entrada em funções" é que os contactos foram retomados, refere a autarca, preocupada com a decisão que o Ministério das Finanças possa vir a tomar sobre a proposta apresentada pela DGLAB, onde se põe a hipótese de um alargamento do prazo para cumprimento do programa até 2016.
Se esta solução não for aprovada “é completamente inviável” concluir as obras da biblioteca onde já foram investidos, pelas contas da autarca, cerca de 607 mil euros. “E, provavelmente durante muitos anos, o Alandroal não vai ter a sua biblioteca”, admite a autarca, inconformada com “a morte de um sonho antes mesmo de se tornar realidade”.

quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

APROVEITE A OPORTUNIDADE


ASSIM NÃO VAIS LÁ !...

                      Leis de Seguro fechavam portas de EDP e FMI a Catroga e Gaspar

As propostas apresentadas esta terça-feira por António José Seguro, no sentido de aumentar a transparência na atividade política e pública, impediriam alguns ministros de regressarem aos seus anteriores cargos, noticia o Diário de Notícias.

                             Seguro quer reduzir o número de deputados na Assembleia

O secretário-geral do PS, António José Seguro, apresentou esta terça-feira, na sede do partido no Largo do Rato, em Lisboa, uma proposta para alterações à lei eleitoral e à lei de incompatibilidades. Diminuir o número de deputados ou passar a ‘pente fino’ as declarações patrimoniais dos dirigentes políticos, são algumas das propostas apresentadas.