quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

JUROMENHA VAI SER PALCO DE UM ACONTECIMENTO DE RELEVO

A nossa Vila de Juromenha, vai finalmente merecer a atenção devida.
Para já e em primeira mão (deferência que o A Tejo agradece), transcrevemos o mail hoje recebido, assim como a divulgação dos conferencistas e dos temas a abordar a propósito da regeneração da Fortaleza de Juromenha.

"Caro Francisco,
 O meu nome é André Bengochea, venho em nome do meu grupo de trabalho e da parte do Prof. António Berbém pedir-lhe, se possível, que divulgue no Blog Al-tejo o evento que estamos a organizar para Juromenha. 
 Creio que já terá tido uma prévia comunicação da parte do Prof. sobre este pedido e sobre os contornos nos quais o evento está a ser desenvolvido. No entanto,a titulo de informação deixo-lhe umas pequenas notas do que pretendemos para a conferência:

1- O evento consistirá numa conferência que durá sensivelmente  uma hora e uma exposição dos trabalhos sob a forma de maquetas e painéis.
 2- A Conferência será sobre a Fortaleza de Juromenha e sobre três projectos, desenvolvidos em contexto académico,  que visam a reabilitação da Fortaleza através a introdução de novos programas, com intuito de potenciar o desenvolvimento económico e social da Vila e do Concelho do Alandroal.
 3- O objectivo será incentivar os participantes e as entidades competentes a participar num diálogo a decorrer num período pós-conferência.  

 Deixo em anexo o painel que servirá como elemento de divulgação e um texto explicativo do evento que poderá divulgar em simultâneo.
 Desde já um muito obrigado em nome da equipa.
 Cumprimentos,
 André Bengochea"

 Conferência | Exposição
Fortaleza de Juromenha – In | Side |out
Data do Evento - Sábado,17 de Dezembro de 2016- Local: Junta de Fregusia de Juromemha. Horário: 16,00 horas
.Conferencistas
Arq. Alexandre Vicente
Arq. João Timóteo
Arq. Nuno Segura
Moderador
Arq. André Bengochea
Tema da Conferência
O tema da conferência centra-se nas investigações e projectos, desenvolvidas pelos arquitectos Nuno Segura, João Timóteo e Alexandre Vicente, cujo foco de incidência foi a Fortaleza de Juromenha. Os projectos foram criteriosamente escolhidos para que o pensamento sobre o território fosse o mais abrangente possível a fim de proporcionar ao público um entendimento mais vasto sobre o lugar. O “Museu Azul de Juromenha” de Nuno Segura, implantado no interior (“In”) dará uma visão mais introspectiva do interior das muralhas e do edificado pré-existente; O ” Museu em Juromenha- A Fortificação Portuguesa” de João Timóteo debruçar-se-á sobre o tema da Fortaleza quando esta deixa de servir o seu propósito, estando o museu implantado numa área adjacente às muralhas existentes (“Side”); por fim, O “Museu na Segunda Linha de defesa de Juromenha” de Alexandre Vicente guiará o nosso imaginário para o que foi outrora a idealização de uma segunda linha de defesa da Fortaleza de Juromenha (“Out”).
Painel de Divulgação





4 comentários:

Anónimo disse...

Gosto, mas de boas intenções e muitos estudos estamos um bocadinho fartos, com todo o respeito, já dei para esse peditório. O "problema " da fortaleza de Juromenha só se resolve quando um grande investidor queira aproveitar o magnifico espaço e local para fazer um hotel de luxo , uma pousada etc, até lá é só paleio, porque ninguém, nem mesmo quem de direito vai investir seja o que for, mais depressa cai.
É apenas uma opinião de homem velho, que respeita quem ainda vai tendo coragem de lutar por ideais, os meus já lá vão.
Que tudo corra bem e que o meu pessimismo esteja errado e consigam requalificar a fortaleza, merece a dita, merece Juromenha e merecem as pessoas.
Mas de uma coisa podem ter a certeza, sem ovos não se fazem omeletes.

Unknown disse...

Muito boa tarde caro Anónimo.

Compreendo a sua frustração. Acredite que todos nós partilhamos um pouco da sua opinião, a verdade é que se não houver ninguém a promover as coisas não há investidores que peguem nisto.
Enquanto houver "paleio" não há esquecimento e enquanto não for esquecido há uma hipótese. De uma coisa temos a certeza, se não remarmos na mesma direcção o futuro será o abandono. Convido-o a estar presente no dia 17 para assistir e participar num diálogo que se quer produtivo e não derrotista.

Cumprimentos,

André Bengochea

Francisco Tata disse...

O modeador de comentários recusa a inclusão de qualquer resposta anónima a comentário identificado.

Anónimo disse...



OBS.


Admitamos que o comentador das 10.37 tem alguma razão naquilo que diz. De

facto, o Estado para estas coisas diz que não tem dinheiro, a Câmara diz

a mesma coisa e o que pode resultar daqui é que um dia apareça um chinês

ou um árabe qualquer com um cheque de milhões e compra aquilo tudo num

abrir e esfregar de olhos. Ignorando, é claro, que a História não se

compra nem devia estar à venda.

Por isso, o que se trata nesta Iniciativa de um grupo de Jovens

Arquitectos é com o seu saber, vontade e as suas competências próprias

de tornar a lançar sementes de participação num projecto de

reabilitação da Fortaleza que anda muito atrasado. Com ideias, e com

estudos adequados aos objectivos que todos pretendemos. Dar uma nova

vida aquele Monumento nacional...que até espanhol já foi.

E, já agora, de uma coisa podem ter a certeza: é que os Investidores,

os milionários, os chineses ou outros, não costumam andar assim tão

distraídos quanto se pensa relativamente às novas ideias. Ou a

Iniciativas como estas. Muito simplesmente porque é também do seu

interesse. Ou,então,porque as coisas têm que fazer o seu caminho e

alguém decidiu dar passos em frente. Para benefício de uma terra, de

um Concelho e das suas gentes. Demora tempo a entender isto, pois

demora. Mas é conveniente que não percamos ainda mais tempo com

posições meramente derrotistas. Falsas. Acomodadas e inconsequentes.


Saudações Democraticas


Antonio Neves Berbem