quarta-feira, 27 de abril de 2016

A CÂMARA MUNICIPAL DO ALANDROAL EMITE ESCLARECIMENTO

Quando se aproxima a data da realização de mais uma Assembleia Municipal, e na qual no ponto 7 se debate o assunto do fornecimento da água à população do Alandroal, e sendo a mesma aberta à participação do publico, entendeu a Autarquia emitir um esclarecimento publicado nos órgãos informáticos da sua responsabilidade e que aqui exibimos na integra.

16 comentários:

Anónimo disse...

Seja antes, seja durante, seja depois da Assembleia (estou-me nas tintas) aí está A VERDADE a que temos direito. Preto no branco.
Na minha modesta opinião a publicidade da informação peca por tardia.
Muito bem.
O vosso esforço e honestidade hão-de ser compensados.

Munícipe

Anónimo disse...

O que tem o Sr.º Grilo a dizer sobre isto? E o Sr.º Nabais? O atual executivo está a fazer um enorme esforço para recuperar a câmara em termos financeiros e de credibilidade. Força para este executivo e espero que continuem por mais um ou dois mandatos...

Anónimo disse...

Mais do mesmo, a culpa foi dos outros.
Vejam lá se melhoram a qualidade da água e do abastecimento que de lamúrias estamos fartos, se parte da responsabilidade do mau estado actual do fornecimento de água é por culpa da Agua do Centro Alentejo, mexam-se, denunciem o caso e façam valer os nossos direitos, nós podemos estar a dever dinheiro mas a verdade é que eles não cumprem com os compromissos assumidos.
Alguma coisa pode e deve ser feita, temos uma Presidente que é advogada, é pensar e agir , agora lamúrias e carpir as desgraças de coitadinhos e vitimas, já chega, não nos levam a lado nenhum e já vos começa a ficar mal, a ser por demais ridículo.

Anónimo disse...

“O atual executivo está a fazer um enorme esforço para recuperar a câmara em termos financeiros e de credibilidade”

Com todo o respeito mas a minha opinião de simples munícipe que nada tem a ver com João Grilo ou João Nabais é que o atual executivo dá a ideia e é perito em fazer parecer que está a fazer um enorme esforço para recuperar a câmara em termos financeiros, mas caro comentador, do parecer ao ser vai uma grande diferença e pelo que se tem visto em quase 3 anos de mandato é muita parra e pouca uva.
Como diz o ditado , de boas intenções está o inferno cheio, eu também gostava de ser capaz de fazer muita coisa e simplesmente não sou capaz, não consigo.

Anónimo disse...

vejam lá se melhoram a qualidade da água???????????
parece que está a fazer um grande esforço, mas do parecer??????

Tal está a moenga, ã!!!!!

Então? Não sabem ou fingem não saber ler?

Arre porra que é demais tanta ignorância fictícia.

Viva o 1º. de Maio DIA DO TRABALHADOR

Anónimo disse...

Tudo ruinoso demais para o concelho do Alandroal, foi o que foi... não há argumentos que valham.

Anónimo disse...

E o tem a dizer sobre o amianto? Sabem por onde corre a água que bebemos?
Sabem o que pode ser libertado dos canos e o que pode provocar?

Vamos debater o que realmente interessa e é prejudicial À SAÚDE PUBLICA!

Anónimo disse...

"E o tem a dizer sobre o amianto?"

Se sabe isso porque só agora o publica? Mas ainda bem que o fez!
Fechar os olhos a isso é um atentado grave e consentido à saúde das pessoas do concelho e que é da inteira responsabilidade de quem gere este município.
Este assunto é sério demais para que o amigo Xico Manel não publique esta denúncia tornando-se assim conivente deste atentado à saúde publica. Estarei atento e por outros meios o publicarei sem deixar de tornar público quem não colaborou na denúncia desta séria anomalia.
Os municípios devem zelar pelo bem dos munícipes que é para isso que foram eleitos.

Anónimo disse...

Com medo da dívida vamos continuar a beber água que corre por condutas do seculo passado.Assim é que se gerem as coisas. Bebemos m---a, mas não devemos nada.

Francisco Tata disse...

Desculpem lá, mas vamos lá colocar um ponto final nesta questão, antes de se enveredar por caminhos menos sérios.
Quando "deixei passar" o comentário no qual se faz referência ao amianto, achei que no mesmo apenas se pretendia um debate sério sobre o estado envelhecido das condutas por onde a água é distribuída. E não a perigosidade que o consumo do precioso liquido pode acarretar para os consumidores.
Aliás a transcrição do comunicado apenas visava e tinha como finalidade, conforme o salientei, dar a conhecer a história das concessões da distribuição da água, para uma possivel intervenção publica na próxima A.M., e se lerem com atenção o mesmo é explicito que caberia às àguas do Centro Alentejo o arranjo e manutenção da rede. Portanto se os canos de distribuição são susceptiveis de criar particulas de amianto não é de todo muito sério apontar culpas a quem não as tem.
Aliás basta uma consulta ao site da Camara Municipal itens VIVER - Ambiente - Qualidade de água para consumo - e no mesmo constatar que a água é sujeita a análises frequentes e de excelente qualidade.
Eis na integra o que se pode ler a tal propósito:

«A Câmara Municipal segue um Plano de Amostragem para controlo da qualidade da água para consumo humano, que submete anualmente à aprovação da Entidade Regulador de Águas e Resíduos (ERSAR), com base no disposto artigo 14.º do Decreto-lei 306/2007, de 27 de Agosto.

As recolhas de amostras e análise dos parâmetros regulamentares, Controle de Rotina CR1, CR2, e Controle de inspeção CI são realizadas por entidade externa ao Município (laboratório particular acreditado pelo ERSAR), sendo que todas as determinações são realizadas no cumprimento das disposições constantes na lei, nomeadamente no que se refere aos parâmetros, frequências de amostragem e análise, e métodos analíticos.

As análises periódicas da água para consumo humano são divulgadas trimestralmente, através de Editais afixados na Câmara Municipal e Juntas de Freguesia.
Os resultados anuais das análises efetuadas (de acordo com o Plano de Amostragem, são submetidos à entidade reguladora ERSAR, para comunicação dos resultados a nível Nacional e à Comunidade Europeia.

Para além do plano de controlo qualidade da água (PCQA), a câmara municipal obedece a um plano de amostragem - plano de controlo operacional – cloro residual. É realizado duas vezes por mês em vários locais de amostragem (escolas, cafés, restaurantes e edifícios particulares). O valor do cloro residual deve estar compreendido entre os 0,20 e os 0,60 mg/l.

O cloro é adicionado à água para assegurar que esta fica isenta de bactérias patogénicas.»

Estamos esclarecidos?
Chico Manuel

Anónimo disse...

A verdade é que não bebo água da torneira à muitos anos. Para tomar banho sim e para cozinhar por enquanto, e isso porque falo com alguns funcionários do Município que vão contando do seu conhecimento da água que temo no nosso CONCELHO.
Não me falaram de amianto porque possivelmente é uma matéria que desconhecem, mas já me falaram muitas vezes em condutas que não são limpas à anos de depósitos que deviam ser limpos com regularidade e à anos que não tem uma intervenção e que o truque é fazer como na água da piscina, coloro e outros produtos com fartura para a água parecer o que não é.
Pelo que me contam e como contam, com todo o respeito, não acredito nas tais análises que certificam a nossa água, pois estão cheias de químicos em quantidades muito superior ao permitido, isto por informação fidedigna.
E por aqui me fico.

Anónimo disse...

Não sei o que é que os vereadores da oposição andam a fazer, toda a gente sabe do mau estado da água que consumimos menos eles, muita gente até afirma que a dita não é própria para consumo, e esta gente não faz nada?
Não mandam fazer uma analise em local competente, porquê?
Será porque tem peso na consciência e se sentem responsáveis?

Haja coragem, porque o mais importante é a saúde publica, são as pessoas, as famílias, as crianças, deixem de vez a M da Política e parem de pensar só no vosso umbigo e sirvam a comunidade.

Anónimo disse...

Não mandam fazer uma? análise em local competente, porquê?
A empresa que até agora tem «comercializado» a água do concelho do Alandroal (e de muitos outros)que é de todos nós, é RESPONSÁVEL (laboratorial e regularmente testada) pela qualidade da água que factura à Câmara e esta a NÓS TODOS.
Tal qual a dos "furos", cuja responsabilidade no consumo cabe ao seu proprietário. Se a não concessionar a UMA EMPRESA.
Mais análises? Porque não? Mas então a empresa não assume responsabilidades óbvias?
E porque é que a Administração Regional de Saúde do Alentejo (Évora) não "esclarece" os legítimos receios manifestados no comentário, e muito bem, envolvente aos netos, filhos, pais, avós, etc?


Subscritor




Anónimo disse...

E porque é que a Administração Regional de Saúde do Alentejo (Évora) não "esclarece" os legítimos receios manifestados no comentário, e muito bem, envolvente aos netos, filhos, pais, avós, etc?


Subscritor





01 maio, 2016 23:13

Porque na verdade de alguma forma os políticos e os governantes são unidos na sua classe, falam, falam, mas ninguém faz nada, há uma espécie de protecção pois tem todos o rabo preso e no Alandroal não se foge à regra.
Enquanto não houver problema sérios de saúde ninguém quer levantar a lebre, podemos estar todos a ser envenenados lentamente, mas não faz mal, continua o povo a ser carne para canhão.

Manuel Bagulho


Anónimo disse...

A mentalidade é a seguinte.

Enquanto não morrer ninguém não há crime, podem e estão como se sabe há muito a envenenar muito lentamente as pessoas, mas como ainda ninguém morreu e se provou coisa nenhuma, não há crime e vá de intoxicar as pessoas todos os dias com o maior dos descaramentos e impunidade.
Se há responsáveis, há, e para já temos a certeza de dois, as águas Centro Alentejo, e a Autarquia, lá porque andam em guerras por questões de devidas não dá o direito a nenhuma das partes de se desmarcarem das suas responsabilidades, para a boa qualidade da água e para o seu bom fornecimento.

O estranho é que toda a gente sabe disto mas ninguém faz nada, será que estão combinados????????

Anónimo disse...


A autarquia... O problema da água...
Todos percebemos e isso já foi falado o suficiente. Agora se vai dar nalguma coisa, não sei...
Como se fala de saúde pública eu atrevia-me a lembrar à autarquia que podia contribuir para a melhorar e ainda ganhar muito dinheiro com isso.
É só deixar de comprar o herbicida total que usa matar as ervas nas povoações. As ervas fazem-nos menos mal à saúde.
Ultimamente tem sido bastante divulgado que está provado que esses produtos provocam o cancro. As análises aleatórias a centenas de pessoas que se disponibilizaram, dão como resultado mais de duzentas vezes o que é tolerado pelo nosso organismo. Eu vou repetir o que já aqui foi dito:
"Enquanto não morrer ninguém não há crime"??????????
Têm que perceber que estamos no século XXI.
Nota: espero que para bem de todos o Xico não censure este comentário.