segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

FORA D´HORAS


F. Tátá

23 comentários:

Anónimo disse...

Sem comentários mesmo, uma Vila FANTASMA.

Francisco Tata disse...

Oh amigo...olhe que não é bem assim!
Antes pelo contrário... repare lá que há gente na esplanada mesmo sendo fora
d´horas.
Vamos lá dar valor à nossa terra!
Chico Manuel

Anónimo disse...

alguem sabe onde posso encontrar fotos do almoço de natal do municipio?

Anónimo disse...

O almoço foi adiado.

Anónimo disse...

COM TODO O RESPEITO E METENDO FOICE EM CONVERSA ALHEIA.
FORA DE HORAS AINDA EM FIM DE TARDE COMO SE VÊ PELA LUZ DO CÉU SÓ SE FOR POR MONTEMOR, PORQUE POR AQUI É FINAL DE TARDE.
DE FACTO PELO QUE A FOTOGRAFIA MOSTRA, JÁ NOITE,NÃO SE VÊ NINGUÉM, NEM NA ESPLANADA.
CARO FRANCISCO MANUEL, O AMIGO GOSTA MUITO DO ALANDROAL TAL COMO EU, NEM MAIS NEM MENOS, MAS POR FAVOR OPINE SOBRE A REALIDADE QUE CONHECE QUE PELOS VISTOS NÃO É DE TODO A DO ALANDROAL ACTUAL.
A VERDADE DOA A QUEM DOER É QUE A NOSSA VILA NÃO TEM A VIDA QUE APREGOARAM E VENDERAM E MAIS PARECE UM MONTE, PORQUE TEMOS NO CONCELHO ALDEIAS COM MAIS VIDA E MOVIMENTO FORA D, HORAS COMO O SR. FRANCISCO COMENTA.

Francisco Tata disse...

É A SUA OPINIÃO.
HÁ QUE RESPEITÁ-LA!
TÁ BEM!
Chico Manuel

Anónimo disse...

Está de facto uma terra fantasma como diz e bem um comentador acima, vou ao Redondo e as ruas tem gente mesmo fora de horas como por aqui também comentam há algum movimento, em Vila Viçosa a mesma coisa, conseguiram matar uma vila que sempre teve gente nas ruas, onde apesar das muitas crises que já passamos ao longo dos tempos havia alegria e se denotava uma resistência pela positiva aos contratempos da vida, havia uma entidade que sem dúvida se perdeu, morreu.

Que há culpados e culpadas, há.
Que há explicações para esta morte lenta, também há.
Que há formas e politicas culturais que podem inverter esta falta de vida, também há.
Já políticos e politicas competentes para o fazer, não há.

Bom Natal

Anónimo disse...

foi adiado!?para quando?para a pascoa quer ver.informaram alguem?
é que a informaçao do almoço foi feita num dia(por telefone)para dar a resposta no dia seguinte.
pois é.acabaram de ver que ao fim de dois anos os trabalhadores estao saturados da vossa (des)organizaçao.alem de verem o dinheiro dos serviços sociais(estintos) reverterem para a conta da camara ainda teem o descaramento de pedir 10 euros por pessoa.
alem da falta de respeito que os funcionarios estao sujeitos ,do quero e posso e mando(mal,muito mal diga-se)nao acham que ao fim de 2 anos ja eram para ter alguma experiencia?olhe que ja falta so (infelizmente) um ano e pouco.
va um bom natal e que o menino vos deixe um pouco de humildade no sapatinho e nestas noites frias ao lume aproveitem para ler um pouco da ideologia do PCP talvez ainda consigam alguma coisa .BOM NATAL

Anónimo disse...

não há dinheiro e pronto, façam as festas com a vossa família e deixem-se de parvoeiras.

bom Natal em Família

Anónimo disse...

Há por aqui pessoas a lançar a confusão com muito más intenções, se bem me lembro no tempo do anterior executivo cada funcionário pagava 7,5 euros e a câmara os outros 7,5 euros restantes ou seja pagavam os funcionários e também pagavam os contribuintes, agora pagam os funcionários 10 euros e a câmara não paga nada pois não pode não paga. Noutros tem tempos a câmara pagava tudo como é óbvio com prendas e tudo por isso é que estamos como estamos nesta lástima. mas foi assim e acho bem ninguém tem de comer com o dinheiro de todos.

Anónimo disse...

Qualquer dia nem de dia se vê gente, só ficam os idosos, foge tudo deste barco a deriva e a afundar cada vez mais a cada dia que passa.
Sra. Presidente, com todo o respeito, assim não.

Anónimo disse...

a festa da câmara foi no sábado passado, somos poucos mas bons.

foi bem bom , e pagamos o que comemos.

haja saúde

Anónimo disse...

JÁ TEM QUE PAGAR OS JANTARES O QUE ESTÁ CORRETO, POIS COMO FOI ANTIGAMENTE EM QUE SE PASSARAM ANOS A FAZER JANTARADAS COM DINHEIROS PÚBLICOS, ACABOU .
MAS HÁ MAIS MORDOMIAS QUE TEM QUE ACABAR DOA A QUEM DOER, COMO TRANSPORTES GRATUITOS PARA SE IR TRABALHAR, TENHO 60 ANOS, TRABALHO DESDE OS 10 ANOS E SEMPRE FUI Á MINHA CONTA PARA O MEU TRABALHO COMO 90% DOS PORTUGUESES.
HAJA SAÚDE E BOA GESTÃO COM O DINHEIRO DE TODOS PORQUE ISTO DE CIDADÃO DE PRIMEIRA E DE SEGUNDA TEM QUE ACABAR DE VEZ NO NOSSO CONCELHO.
VIVA O PCP MAS COM GENTE COMPETENTE E COM CORAGEM PARA POR AS COISAS NO LUGAR CERTO.

Anónimo disse...

Eu trabalho na tyko em évora vamos fazer um almoço de natal e pagamos nós, já viram se a empresa tivesse de pagar um almoço para todos os que lá trabalham??
Muito bem esta politica quem quer comer paga não é com o dinheiro dos contribuintes.....

Anónimo disse...

sim concordo já basta terem os transportes à borla, um gasto para o município desnecessário, nos outros municípios os funcionários levam os seus carros, já se percebe demais....

Anónimo disse...

O que aqui vai!!!!

Este modo de ver os problemas e de dar soluções para os mesmos, não é novo... Mas está agora a radicalizar-se cada vez mais.

E eu lembrei-me de contar como é o relacionamento dos pobres da seguinte maneira:

Um humilde trabalhador cansado de andar a pé fez economias e conseguiu comprar uma bicicleta.
Outros o imitaram, e assim, também já iam para o trabalho de bicicleta.
Porém um deles, com a bicicleta conseguiu chegar a locais onde lhe pagavam melhor, e economizando, comprou uma motorizada que o transportou para lugares onde passou a trabalhar em serviços mais bem remunerados.
Este era daqueles que nunca se dão por vencidos e foi sempre arranjando maneiras, onde honestamente foi conseguindo subir na vida, ao ponto de ter um trabalho que lhe proporcionou ter meios para adquirir um automóvel...
E qual foi a reação dos seus antigos parceiros?
Em vez de se esforçarem o suficiente para melhorarem a sua vida, criticaram-no duramente, cheios de inveja, por verem o seu parceiro de automóvel e o que mais queriam, era que ele voltasse novamente para a bicicleta como eles...


Anónimo disse...

extraordinário o comentário das 18:41.

Anónimo disse...

Anónimo Anónimo disse...
extraordinário o comentário das 18:41.

17 dezembro, 2015 09:10


Pois é, até tem a sua graça, mas puxa a brasa à sua sardinha, coisa que sempre se fez, mas estamos em altura de mudar, o que importa é o bem de um Concelho e de um Município e não mordomias e direitos só para alguns, já chega.

Anónimo disse...


17 dezembro, 2015 13:58 disse:

"mas puxa a brasa à sua sardinha"

Como se engana...
Não estou a puxar nada para mim, estou reformado há anos e o que vos conto é fruto de experiência adquirida ao longo do tempo.
Os pobres, entendem que o seu inimigo, ou, o inimigo público, é o seu vizinho pobre. Não são capazes de perceber de onde lhes vem o mal.
Os ricos até podem não se darem bem por diversos motivos, mas no que diz respeito aos seus interesses de classe entendem-se muitíssimo bem!

Anónimo disse...

Deixem-se lá de opiniões da treta, e das regalias conquistadas porque a atualidade e a realidade não está para essas coisas, toda a gente a não ser os ricos tiveram que cortar regalias e viver dentro das possibilidades.
Se houve tempo em que Autarquia podia pagar transportes, jantares e almoços e horas extraordinárias a todo o pessoal isso é passado, hoje a realidade é outra e se toda a gente tem que cortar e não se pode viver de maneira nenhuma como há dez anos em que os bancos emprestavam sem se pedir e davam cartões de credito a toda a gente, tem os trabalhadores da Autarquia do Alandroal que se habituar à ideia de perdas de regalias como todos os outros Portugueses.
O resto é conversa para boi dormir e claro está a indignação de quem tem inevitavelmente de perder conquistas é a vida.
Também opino com base na experiência adquirida ao longo dos tempos, já vi muita coisa, já sou reformado e não é por invalidez graças a Deus, é por idade.

Anónimo disse...

Elucidativo, para quem ainda tenha capacidade de entender, estoutro comentário das 18:54, de hoje.
Questionemo-nos pois «das razões» da diminuição progressiva de presenças das pessoas na Praça.
Vamos ao assunto.
Com clareza.

Permito-me felicitar o autor do comentário referido.

Boa noite






Anónimo disse...

Grande comentário 17 dezembro, 2015 21:43, tudo preto no banco, hoje tem que ser assim doa a quem doer e por muito que custe a quem tenha que perder regalias e direitos conquistados em abril ou em qualquer outro mês é que isto de se continuar a ter munícipes de segunda e outros de primeira com regalias pagas com dinheiros de todos os contribuintes tem que acabar.
Isto não é querer o mal do vizinho, trata-se do que está correcto ou incorrecto, do que nos tempos de hoje é justo ou não justo é aceitável ou não.
Temos um abastecimento de água ultrapassado e deficiente, há pessoas neste concelho que para entrar e sair de casa tem caminhos de terra e lama e depois não há dinheiro para problemas básicos e prioritários mas há para conquistas de transportes gratuitos para os trabalhadores do Município, só podem andar a brincar com as pessoas que tem o azar de não ser funcionários da Câmara e que são a maioria dos Munícipes do nosso Concelho.
Anda é tudo louco.

Anónimo disse...

Questionemo-nos pois «das razões» da diminuição progressiva de presenças das pessoas na Praça.
Vamos ao assunto.
Com clareza.

Simples, os mais velhos que tinham esse hábito estão a desaparecer, ou por doença ou porque vão para o oriente eterno.
Os mais novos nunca tiveram esse hábito e não estão cá, partem ou para estudar, ou para a tropa ou para trabalhar porque por aqui ou se tem a sorte de se entrar para os quadros da Câmara que pelos vistos é um trabalho com algumas regalias,quase únicas como transporte trabalho, casa, trabalho, ou então não há forma de viver, a agricultura está como se sabe, empresas no concelho que deviam ser acarinhadas para se fixar, pagam as taxas máximas e vão para o Redondo onde por exemplo há taxas que nem se pagam.
Claro que outras razões de ordem cultural, por exemplo, fazem o nosso concelho mais deserto e em especial a cede do Concelho onde se deveriam passar algumas coisas para fazer jus ao investido que foi feito num Forum Cultural e que devia ter vida e mexer com a terra e com as pessoas e nada. Aí tem uma simples explicação da praça vazia neste deserto em que nos transformaram.