domingo, 14 de maio de 2017

OPINA QUEM SABE... O ZÉ CARVALHO !

Para as vozes que dizem que o Salvador Sobral é um atrasado mental, devem ver esta entrevista e rever a opinião, decerto que a maioria deles não teriam a coragem e a inteligência de abordar um assunto desta relevância em lado nenhum., um bom exemplo para certos políticos.


É o miúdo  bom cantor e músico, principalmente um bom interprete e tem sem duvida alguma a canção mais interessante em termos musicais e literários deste festival de eurovisão que está transformado num festival pimbalhão deprimente.

Vê como uma boa canção pode ser universal, como é o caso numa aula de musica em Espanha (Cádiz) como demonstra o vídeo em anexo.


17 comentários:

Anónimo disse...

Na verdade ganhou e muito bem, estão de facto as pessoas a mudar, nas atitudes, nos gostos, no conhecimento, ainda bem.

Anónimo disse...

Que ternura estas crianças espanholas a cantar, infelizmente e quase decerto que em Portugal não se passou nada semelhante, dá para ver a diferença cultural de dois povos tão perto e tão longe.

Anónimo disse...

"OPINA QUEM SABE"

depois do resultado opinamos todos........

Francisco Tata disse...

Comentário absolutamente fora do contexto e apenas publicado para que possa da minha parte tirar quaisquer duvidas.
Em primeiro lugar saiba que o texto e os anexos que o ilustram foi recebido via e mail sexta feira 12 de Maio cerca das 23 horas conforme copia que anexo :

Ze Carvalho
12 de mai (Há 2 dias)
para mim
https://youtu.be/BEGeFgPiaV0
https://youtu.be/gYNpNqiAK-4
Caro Francisco, para as vozes que dizem que o Salvador Sobral.....
......
Abraço



Fica assim documentado que ao contrário do que insinua a opinião foi dada antes de se conhecer qualquer resultado.
Mais:
O texto não faz qualquer alusão à vitória, apenas se baseia na coragem com que Salvador Sobral abordou um tema que qualqur mortal consciente encara com preocupação, alem de salientar a qualidade musical da Amar pelos dois.
Não sei, nem tão pouco me interessa o motivo que o levou a enviar tão despropositado comentário. Sei isso sim que tais pontos de vista em nada contribuem para um clima de harmonia que se pretende para um Alandroal, mais culto e mais solidário.
Att
Chico Manuel

Anónimo disse...

Grande intervenção política, deviam os mais velhos aprender como se diz as verdades sem papas na língua.Acho que a sua posição também contribuiu para a vitória, as pessoas não ficaram indiferentes, se os políticos não fazem ainda bem que há gente nova com coragem.

Paulo Frade

Anónimo disse...

Hoje é open day no facebook, em que toda a gente pode opinar gratuitamente sobre futebol e música... 90% só ouviu o Sobral hoje...

Anónimo disse...

Bom comentário, concordo que de facto 90% dos portugas quando escutarem a canção vão dizer que gostam porque pela primeira vez na vida PORTUGAL ganhou a eurovisão, só por isso. Na verdade, não se revêm no tipo de música nem de interprete, faltam as bailarinas e a poesia ao estilo Tony Carreira.
Na verdade os Portugueses em Portugal não puderam votar e como tal não influenciaram em nada o resultado, a vitória veio de fora para dentro como é costume em quase tudo, e contribuíram os emigrantes, esses é que gostando ou não da canção votam sempre em Portugal.E é mais que evidente que o discurso do cantor sobre os refugiados na Europa bateu certo, tudo se conjugou e correu bem para a vitória. Está de parabéns a música Portuguesa.



Maria Antónia

Anónimo disse...

"Fica assim documentado que ao contrário do que insinua a opinião foi dada antes de se conhecer qualquer resultado.
Mais:
O texto não faz qualquer alusão à vitória, apenas se baseia na coragem com que Salvador Sobral abordou um tema que qualqur mortal consciente encara com preocupação, alem de salientar a qualidade musical da Amar pelos dois."

Mal se fala em Zé Carvalho aprecem logo uns artistas ou um artista a meter veneno, tal como aconteceu com o comentador acima de 14 maio, 2017 01:20.
Estejam caladinhos, já chega de figuras tristes e pouco abonatórias.

Carlos Alberto

Anónimo disse...

.Acho que a sua posição também contribuiu para a vitória, as pessoas não ficaram indiferentes, se os políticos não fazem ainda bem que há gente nova com coragem.

Paulo Frade

14 maio, 2017 11:16



Concordo e também aplaudo a atitude do Salvador Sobral, mas ainda não vi ninguém comentar sobre um assunto que é sempre difícil abordar mas que não pode ser tabu.
Infelizmente o Salvador têm uma doença crónica ao que parece vai ter necessidade de um transplante de coração, e na verdade essa informação passou para as redes sociais, possivelmente não foi propositado, nem me parece o cantor o tipo de pessoa de tirar proveito da doença como sabemos que muita boa gente faz e de forma descarada, mas que influenciou não tenho dúvidas, pois como sabemos, infelizmente, existe o culto do coitadinho.
Uma boa canção, uma voz bonita com sabor a jazz, e contra todas as expectativas ganhou uma musica fora dos moldes festivaleiros e Portuguesa, tinha tudo para não dar certo, mas deu, vamos lá perceber estas coisas.

Anónimo disse...

"OPINA QUEM SABE"

depois do resultado opinamos todos........
14 maio, 2017 01:20
Caro ou cara comentadora, quem escreveu OPINA QUEM SABE não fui eu, mesmo assim teria todo o gosto em lhe responder mas o Francisco já o fez por mim e sem dúvida de forma mais calma e educada, o que ficamos por aqui.


FESTIVAL EUROVISÃO

O que continua a ser lamentável é a falta de caracter e honestidade das pessoas, que continuam cínicas e sem opinião própria formada, é tudo ao sabor do vento e de como este é mais ou menos favorável. Se se ganha é tudo bom, se se perde é tudo mau, quando a realidade é bem diferente.

Quando o miúdo Salvador ganhou o festival RTP, as reações foram: Tem pinta de drogado, é maluco, tem tiques, a canção parece música de velório, é mais uma porcaria que vai representar Portugal lá fora, e por aí adiante, só opiniões fantásticas. Até alguns meios de comunicação ficaram caladinhos e não deram qualquer opinião, assim na base do deixa lá ver o que isto vai dar. Mas à boa maneira Portuguesa, temos um novo herói Nacional, ganhou, é o melhor do mundo, de um dia para o outro deixou de cantar mal para cantar muito bem, e a canção que era uma porcaria, afinal é maravilhosa, e a pinta de maluco e drogado como por magia desapareceu e temos afinal um rapaz maravilhoso, lindo.

Já tivemos grandes canções no festival RTP da canção assim como no festival da Eurovisão a que ninguém ligou pois ficaram nos últimos lugares, aliás, até este ano que, foi completamente atípico, as grandes canções nunca ganharam em detrimento das músicas feitas ao sabor das modas e com receitas festivaleiras, que a meu ver têm transformado os festivais dos últimos anos numa montra de música pimba onde tem imperado o mau gosto e a mediocridade musical, o mais importante é o visual, tentar fazer uma aproximação de um teledisco da Madona, mesmo que de série B.

Mudaram por fim as tendências, pois ganhou uma excelente canção, com a maior simplicidade e sem a palhaçada circense à volta, a canção valeu só por si, como foi cantada e interpretada.

Esta globalização e esta facilidade dos novos tempos onde tudo se pode colocar na internet num segundo, veio dar mais verdade a certas coisas, pois há anos atrás tudo isto era controlado pelas grandes cadeias de televisão e os países pequeninos como Portugal nunca tinham hipótese de ganhar um festival da Eurovisão. A máquina do sistema estava montada e não havia volta a dar, sei do que falo, pois senti e vivi esse ambiente quando fui à Eurovisão a Zagreb como músico convidado da RTP para acompanhar a Nucha na canção que representou Portugal em 1990, toda a comitiva da RTP sentiu a nossa pequenez, a descriminação, o jogo viciado.


Foi a meu ver muito importante para esta vitória a entrevista polémica que o Sobral deu, quando falou do problema dos refugiados na Europa, foi mais uma vez verdadeiro, autêntico, igual a si próprio, fez com coragem o que certos políticos deviam fazer e não fazem. É a pessoas assim, que se tende a dar valor, a apreciar, que leva a votar numa canção que embora não se entenda a letra, toca nos sentimentos, no coração, porque é MÚSICA bem-feita.

Que sirva esta boa canção de facto nada festivaleira para mudar o rumo e tendências musicais apresentadas nos festivais dos últimos 20 anos, e se comece de novo a ter composições musicais dignas, que sejam verdadeiramente, canções, preferencialmente cantadas na língua de cada País.
Foi uma vitória da música Portuguesa, da minha parte um obrigado miúdo
Sobral e que te mantenhas lúcido e humilde para lidar com o êxito.
Muita música.

José Carvalho

Francisco Tata disse...

Por ser tão evidente não mencionei quando respondi ao comentário das 01,20 - que o título da postagem é da minha responsabilidade.
O Zé apenas (e não foi pouco) elaborou um texto e sugeriu os links dos vídeos.
Por ser um homem das artes e da musica, cataloguei a postagem com o título de «QUEM SABE»
Chico Manuel

Anónimo disse...

O conterrâneo ZÉ CARVALHO, ofereceu-nos um EXCELENTE COMENTÁRIO e TUDO O RESTO SÃO TRÊTAS !

Há aqui oportunistas, que nunca conseguirão esconder a sua «dor de cotovelo» e sempre que podem denunciam-se... Fico por aqui...

Rip Khirppi disse...

Agora que Portugal ganhou o Festival da Eurovisão, a primeira coisa que se detecta, é que ganhou uma canção que aparece ao arrepio das canções vencedoras dos últimos anos. Não existem ali artifícios, não existem "fórmulas vencedoras", não existem truques. Existe sim muita arte, muito talento, muito trabalho e, sobretudo, muita humildade. Congratulo-me com isso, pois desde há muito que me tinha desinteressado destas coisas da Eurovisão, exactamente porque, apesar do meu fraco entender nestas matérias, me tinha apercebido que aquilo já era mais um "business" - com muito dinheiro pelo meio - do que uma competição artística. Ontem, e por absoluto acaso, acompanhei do princípio ao fim o programa e, coisa rara em mim, não me arrependi.
Quanto à premonição do Zé Carvalho não me deixa espantado: bom profissional, homem muito experimentado nas lides artísticas, deve ter sido fácil para ele ver que estava ali um grande artista.
No que diz respeito ao Salvador, e pela amostra, tenha a certeza que irá longe. Da minha lavra apenas quero acrescentar que é preciso tomar atenção à Luisa, irmã do Salvador, suponho. Também ali temos artista!

Cisco Kid

Anónimo disse...

Grande comentário Sr. José Carvalho, vá escrevendo mais vezes, não ligue, os cães ladram mas a caravana passa.
Como diz o Francisco e muito bem, opina quem sabe.
Boa tarde

Anónimo disse...

OBS.

Era dos que andava tão distraído com o Benfica e o Papa ( duas forças tão

poderosas) que não tinha bem a noção do que se estava a passar na Eurovisão

com o Salvador Sobral (no Alandroal também houve um salvador).

Alertado para a eminência de uma vitória fui, então, fazer o normal: ler o

poema, ouvir a musica, e ver a interpretação. Umas três vezes.

Ficámos com a seguinte sensação ( e emocão): é uma daquelas canções que

primeiro estranha-se mas depois entranha-se. Quanto à maneira como foi

interpretada, direi que, o jovem Salvador, foi de uma simplicidade

demolidora e o cantor foi ( e manteve-se ) sempre em frente embora de

uma maneira musicalmente bastante suave e,diria, assaz sedutora.

Com os olhos "por cima do sistema" (de que fala o Zé Carvalho), na

musica, na musica portuguesa e até no nosso passado perdedor na

Eurovisão. Isto é, arriscou e depois manteve superiormente a aposta desde

o principio ao até fim das votações.

Foi coerente e acabou por ganhar. Cantou e encantou ao seu jeito

simples.Não gritou, não se pavoneou, não se esticou.Nem esganiçou.

Com toda a certeza esteve à altura de si próprio,da Irmã,e dos

portugueses que vamos sendo e onde parece continuar a faltar uma

coisa: "salvar-nos de nós próprios". E digo isto, na convicção de que

se não o fizermos ninguém o fará por nós.

Resta-nos pois ir ouvir mais uma vez o "Amar por dois". Ou seja,amar

no plural,amar com ternura.Amar os outros como gostaríamos de ser

amados. Sem nos refugiarmos de ninguém. Nem dos que agora são vistos

(e mal aceites) como Refugiados. Quando, afinal, ainda ontem estavam

próximos e eram nossos vizinhos de carne e osso!


Cumprimentos


ANBerbem

Anónimo disse...

Gostei dos comentários do Zé Carvalho e do amigo Berbém que bem podia dar-nos mais vezes a sua prosa bonita e sempre pertinente.
O zé Carvalho que não escreve habitualmente por aqui, também nos podia falar de música com mais regularidade. E porque não um convite do Francisco.
Digo eu que sou maluco e como tenho pouco que fazer, julgo que já está tudo reformado como eu.
Boa tarde

Francisco Tata disse...

Boa tarde amigo e obrigado pelo comentário.
Cumpre-me dizer:
Então se o meu amigo é maluco eu tambem sou. Saiba que o convite ao Zé Carvalho para que escreva mais amiude a propósito de musica já lhe foi endereçado há muito. Sugeri até manter uma rubrica sobre musica neste espaço à semelhança da que existe sobre cinema.
Compreendo no entanto que será dificil ao Zé concretizar a idéia devido aos muitos afazeres que lhe preenchem o tempo.
Vamos ver!
Aguardemos...
Chico Manuel