quinta-feira, 23 de março de 2017

NOVAS DO CONCELHO DO ALANDROAL

Em visita Pastoral o Sr. Arcebispo de Évora visitou hoje a Câmara Municipal.
O mesmo fez-se acompanhar pelo Pároco Damião Rogério, e foi recebido pelo executivo e pelos trabalhadores.
Seguiu-se uma reunião de trabalho que permitiu reforçar a parceria já existente e definir linhas de trabalho na área do património e apoio social.

                                  XXXXX
A Travessa Humberto Delgado em Hortinhas foi dotada de novo pavimento. Via administração direta os trabalhos de beneficiação terminaram no passado mês de Fevereiro.
Aprovadas estão os arranjos da Estrada do Monte do Outeiro e pequenos arruamentos na Aldeia das Hortinhas.


Fonte: facebook C.M.A.

Em nota de rodapé: Seria interessante informar os Munícipes se a questão da Igreja do Calvário (no 1º caso) teria sido abordada e as conclusões.

Na segunda notícia esclarecer os interessados se algo está projectado para o tão badalado caso do caminho do Campo de Tiro.

9 comentários:

Anónimo disse...

Para as estrada do campo de tiro e em especial para as pessoas que ali vivem e que tem que passar por ali todos os dias ao contrário dos caçadores que passam uma ou duas vezes por semana por questões lúdicas, há de certeza o eterno desprezo a que à muito estão condenados.
Não vive decerto por li ninguém do Muda ou da Cdu.
Uma vergonha.

Anónimo disse...

A uns arranjam tudo, é condutas de água, passeios, para não falar do que é de conhecimento geral que até caminhos de propriadades particulares tiveram direito a alcatrão.

E outros não tem direito a porra nenhuma.

Com o dinheiro e mão de obra que estão a gastar com passeios não é mais urgente arranjarem os caminhos pelo menos até ás habitações das pessoas, nos locais mais críticos ? as estradas e caminhos é que importam os passeios vem depois.


Anónimo disse...

Na segunda notícia esclarecer os interessados se algo está projectado para o tão badalado caso do caminho do Campo de Tiro.





Ao que disse a Presidente parece que afinal alguns caçadores nem estão muito preocupados no arranjo ou não do caminho, na verdade nem todas as semanas ali passam e quando o fazem vão fazer desporto e papar uns petiscos e tudo tem camionetas, jipes, não é grave o problema. O que incomoda e revolta é que se vai percebendo que a Sra, Presidente e este executivo tiveram sempre mais preocupados com os caçadores do que com os moradores, esses sim sofrem na pele com o problema diariamente e como pessoas normais tem viaturas como qualquer normal família.
De facto meia dúzia de famílias não é muita gente, a preocupação em resolver também não é grande como se vê, com os caçadores que são ainda umas boas dezenas a preocupação seria diferente, é mais gente a votar, agora a ser assim, estão as pessoas que ali vivem entaladas.Enquanto isto vão trabalhando para o voto em locais com mais habitantes, com passeios, bancos de jardim e plantação de árvores para dar sombra e até acessos a garagens particulares, um LUXO, dá para tudo.

João Carlos

Anónimo disse...

A primeira questão colocada em nota de rodapé colocada pelo Chico não interessa nada.
Querem lá os alandroalenses saber se a história é preservada e se algo valioso fica para os descendentes para que se orgulhem de ter nascido nesta terra?
Primeiro o bem de alguns e quem vier atrás que feche a porta!

Anónimo disse...

Serve o fim-de-semana entre muitas outras coisas para vir espreitar este espaço e ficar a par do que se vai comentando por aqui, pena que a publicação do amigo Carlos Tavares já esteja em segunda página mas ao que parece serviu mais uma vez para agitar as águas que pelo nosso Concelho andam muito turvas e pantanosas.
Não vou acrescentar mais nada porque pelo que li o tema já foi abordado de muitas formas, e com algumas delas estou em total sintonia mas não resisto em colocar aqui um comentário que acho engraçado e que mostra que mesmo com ironia se podem dizer algumas verdades.

Cumprimentos e bom fim-de-semana a todos.




Anónimo disse...
Pelo que se lê acima numa publicação do próprio Município andaram a arranjar acessos para garagens particulares, e a fazer muros, agora andam a fazer passeios calcetados tal o luxo, nem de cimento são, e como se não bastasse ainda vão ter árvores e bancos de jardim.
Vendam os amigos as vossas casas e vão viver para onde há todas estas condições criadas pelo Município, alguém por ali se mexe bem e puxa os cordelinhos, por aí já viram que não se safam, estão desprezados de todo.

Quando for vai ser a sério, é a estrada arranjada e alcatroada até às portas dos montes, passeios empedrados com calçada portuguesa, bancos e plantação de árvores exóticas e se calhar para vos compensar deste sofrimento de longa duração, ainda faz o município uma garagem para cada monte ou casa de família.
É preciso é saber esperar, tenho para mim que talvez daqui a mais 4 anos aconteça alguma coisa.

Pastor de ovelhas
24 março, 2017 14:38

Anónimo disse...

Onde fica a Igreja do Calvário? Não conheço nenhuma igreja com esse nome no Concelho do Alandroal.

Francisco Tata disse...

Saiba que a Igreja de Nossa Senhora da Consolação, foi e é tambem conhecida pela Igreja do Calvário, dado que era nessa Igreja que se albergavam as Figuras que saiam em Procissão (Senhor dos Passos, Senhor Morto, S. João Baptista) em tempo de Quaresma, mais precisamente a partir de Quinta-feira Santa tempo em que se celebrava o Cálvário porque Passou Jesus.
Chico Manuel (Um dos que defende e luta pela recuperação de tal Monumento histórico).

Anónimo disse...

Chico Manuel (Um dos que defende e luta pela recuperação de tal Monumento histórico).

26 março, 2017 14:04


Defende e muito bem, e como sabe não está só, mas pelo que se vê não deve existir um defensor da causa assim muito influente tal como não existe lá para o caminho de Casas Novas, porque se existisse já estava tudo arranjado e até com lindos passeios, bancos e árvores em redor, tudo ao mais alto nível.
Trabalha de facto bem este executivo, mas ó para alguns.

Anónimo disse...

Obrigada Francisco Manuel pela informação, não sabia. Realmente é lamentável o estado em que está a igreja da Consolação, mas, na minha opinião e ao contrário do que o comentador anterior diz, não deve ser a Câmara a responsável pelas obras da igreja. Espaços públicos sim, com mais ou menos consenso, mas espaços sagrados são responsabilidade da respectiva Igreja e dos seus crentes, o nosso Estado é laico(quer sejam as "nossas", quer sejam sinagogas ou mesquitas, ou outras). Se, para além da Igreja, alguém pode ser responsável há-de ser o Ministério da Cultura, se se tiver em consideração que o edifício possa constituir um bem público comum por ser ou conter obras de arte, ou, como é o caso, por ter lá sepultado o nosso Diogo Lopes de Sequeira.