quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

DUAS HISTÓRIAS EM TONS DIVERSOS - Por A.N.B.

Primeira.
Conta-se no livro de um dos militares e participante directo  nas operações do Dia 25 de Abril que, logo após a tomada do poder, pelo General António Spínola quando este chegou à sala do Posto de Comando da Pontinha disse o seguinte: “Obrigado a todos pelo excelente trabalho, abraçou o Otelo e a seguir afirmou: “Meus senhores, estão todos promovidos”.
Foi, então, que o Tenente-Coronel Fisher Pires deu um passo em frente e pegando respeitosamente no braço do futuro Presidente da Republica lhe terá dito: “Meu General, Portugal, ainda não é uma Republica das Bananas”; vamos antes conversar lá para baixo. Sabe-se hoje que foram discutir o Programa do MFA centrado nos três “famosos D”, o do da Democracia, o da Descolonização e o do Desenvolvimento.
Se imaginarem, por instantes, que as coisas não se tivessem passado assim, naquele momento, meditem no que é que poderia ter acontecido a Portugal? Como, aliás, esteve em riscos de acontecer sabendo nós todos que a politica tem parte da sua acção e das suas fontes baseada na perversidade e no oportunismo e não na real grandeza do espírito humano.
Serve este exemplo, para perguntar se aquilo que está acontecendo no Alandroal, e no seio do Partido Socialista, é uma espécie de corrida para o  abismo? E se o caminho deve ser o de  procurar acordos sérios e abrangentes em vez de previsíveis conflitos estéreis com escorregadias cascas de banana à mão de semear?
Será, por isso, que vamos ter na Câmara a reedição de repetitivos « duelos pessoais» que já provaram, ano após ano, serem inúteis? Sem visão, sem utilidade ou sem nenhum projecto de futuro de desenvolvimento realizável para o Concelho?

Segunda (breve) história.
Deixámos de ser grandes adeptos de futebol, pela simples razão de que as doses que são impingidas são excessivas e vão retirando o verdadeiro prazer de ver um jogo de futebol bem jogado.
Acresce a este factor, o reconhecido “mundo de corrupção” que gira em volta do futebol onde os empresários dos jogadores já têm mais poder financeiro  e « desportivo» do que os próprios clubes. Sejam quais forem.
Claro que isto não invalida que deixemos de reconhecer mérito aos bons actores que ainda andam no futebol. Sou um dos que ainda acreditam que a bola- apesar de tudo- ainda vai sendo redonda e, às vezes, bem tratada..
Sou benfiquista,  mas também não deixo de reconhecer que, Jorge Jesus, é um bom treinador. Trabalhador e defensor dos clubes por onde tem passado. Se bem que a dar um tanto para o casmurro...
Dito isto vamos acabar esta história, dizendo que onde, Jorge Jesus, anda a errar demasiado, em demasiadas circunstâncias, e em demasiados jogos é em culpar os outros dos erros que ele próprio frequentemente também comete.
Neste momento, conseguiu pôr toda a gente contra ele: os associados, a imprensa, aqueles que lhe chamam arrogante e aqueles que dizem que afinal perde mais do que aquilo que promete que ganha. Parece mesmo que já só sobra no apoio o Bruno de Carvalho!
A moral desta história é que, no futebol, como em tudo na vida não há vencedores antecipados de coisa nenhuma. E que a diferença entre os que ganham e os que perdem está na Humildade com que encaramos, entramos e saímos  das situações novas.
Dito por outras palavras: no futebol como na politica (enquanto sede de actividades humanas) sujeitas às derrotas ou às vitórias, valerá ainda a pena fazer perguntas a quem julga que já sabe todas as respostas ?
Os triunfalismos antecipados servem como mera resposta? Ou deviam servir para repensarmos como, afinal, não temos resposta para tudo o que pode e  vai acontecer-nos.
Falámos desta vez mais em futebol. Teremos, contudo, um tempo próprio para voltar a conversar das próximas eleições autárquicas. Sem triunfalismos gratuitos. Sem empates. E sobretudo sem vencedores antecipados!
Saudações Democráticas
   Antonio Neves Berbem
            (19/Janeiro/2017) 

       

19 comentários:

Anónimo disse...

Sr Berbém, em relação ao primeiro texto facilmente se deduz que o indigitado Spínola tinha um programa próprio que contrariava o dos 3 Ds, o que mais tarde se veio a provar. Pergunto - Não deveriam os militares ter acautelado isso antes do endeusar da criatura?
Que ensinamento... Vou ficar atento e como refere no 2º texto voltaremos a falar de eleições autárquicas ( se nos deixarem, Claro! ).

Anónimo disse...



OBS.


Ao Al tejo

I- Começo por dizer que não me parece que os Capitães de Abril tenham endeusado o General Spinola. O que aconteceu, é que era o General mais à mão para fazer a transmissão do poder... antes que ele caísse na rua.
Marcelo Caetano esteve bem nisso. Até porque o General preferido dos
capitães era Costa Gomes. De facto, um General com um outra visão politica e preparação para o que iria passar-se. E que foi muito como sabe.

II. Dito isto,e atento ao seu 2º paragrafo, aproveito para lembrar que tudo o que aqui se vem dizendo acerca do processo de candidatura do
Senhor João Grilo. usando como veiculo partidário o Partido Socialista corresponde á interpretação que fazemos deste processo que tem tanto de secreto e clandestino como tem de um mau serviço prestado ao PS.

III. Como seria de esperar esta opinião não agradou ao dito J.G. Já tive

aliás uma resposta através do Facebook. Entretanto já enviei, como é

normal, a contra resposta. O que torna, no entanto, as coisas

risiveis é o Sr. JG declarar-se tolerante ao início mas depois

verificar-se que só é tolerante para aquilo que lhe agrada ouvir.

Dando, portanto. por extinta a sua dita tolerância...o que,aliás,não é

novidade nenhuma no seu velho e novo posicionamento politico.

Sendo assim, aproveito este mesmo Comentário para reafirmar tudo o que

disse, não deixando também de de salientar que estamos numa discussão

democratica na qual o maior numero de interessados deve participar.

Parece-me ser esta a razão principal porque se faz este comentário

e uma das missões das redes sociais em geral; e do Al tejo em especial.

Ou seja, temos que debater abertamente uma candidatura, à Câmara do

Alandroal que tem opositores; que deve ter opositores sob pena de

ser autocrática, não querer adversários ou de se julgar vencedora à

partida passeando pelas ruas umas tantas antigas bandeiras.


Saudações Democraticas


Antonio Neves Berbem

Francisco Tata disse...

No intuito de evitar intrepretações que posssam causar alguma duvida, e dado que no ponto II se utiliza a expressão no plural (que fazemos), e mais adiante se invoca o nome Al Tejo (e do Al Tejo em especial) o responsável pela edição do mesmo esclarece que continua a manter a isenção em questões partidárias, estando portanto aberto a todas as forças politicas que pretendam utilizar este espaço, desde que devidamente identificadas.
Conforme já por diversas vezes afirmamos o Al Tejo não está ao serviço seja de quem for, e continuará a manter a mesma isenção que desde sempre tem tentado seguir.

Anónimo disse...

Até que enfim que alguém conseguiu caracterizar bem o ex presidente em termos de tolerância, parabéns camarada Berbem. O Grilo é sempre muito tolerante antes das eleições.

Anónimo disse...

Parafraseando uma canção de Fausto só me apetece dizer;
"vou-me rir muito, vou dançar o só-li-dó!!!
A dança do Grilo e as cambalhotas do Berbem!!
Siga a rusga, siga a rusga!!!

Anónimo disse...

O Sr. Berbém, é, sem dúvida, um bem-falante, um excelente orador, um retórico. Conheço-o bem, desde moça, do Alandroal.
Admito que tive uma “paixãizinha” pelo Sr. Berbém, mas a minha timidez e a constante perseguição do meu pai era tanta que nem o meu mais ousado pensamento sobre ele, poderia extravasar para o exterior. Sentimentos reprimidos, portanto.
Confesso que a eloquência do Sr. Berbém, a efectividade de palavras, a sua postura, a pose, o seu charme, sempre me seduziram mesmo que de uma forma inconsciente.
Findo estes anos, confesso às paredes que me rodeiam, e aqui, neste espaço, que para além de um homem culto e multifacetado, é o charme num só homem, é a sua pose, postura, maneira de estar e ser, que associada a uma beleza abstracta, mas bela aos meus olhos, que só os mais susceptíveis ao surrealismo poderiam saber interpretrar.
No bom sentido da palavra, aos meus olhos, é o homem perfeito, como que uma bela fatia do melhor chocolate do mundo.
Leonilda Feliz

Anónimo disse...



OBS.

Graça por graça, devia ter libertado esta sua gongórica prosa há décadas. Podia ser que tivesse acontecido qualquer coisa... Mas como não aconteceu,o seu Pai, é que tinha razão. A decisão era afinal dele. Contudo o "complexo" parece que era seu e consigo ficou. Quanto ao problema, por inegável e inocente desconhecimento deste seu Amigo, esse também nunca chegou a ser meu.

Saudações muito cordiais, caríssima LF.

Anónimo disse...

Este caça votos é uma Paródia às eleições da APIT Lar de Terena
Há duas listas a lista A e B.
O cabeça de lista A andou a pedir votos e deu origem a esta cronica.

O "caça votos"
Esta excelente qualidade de caçadores tem duas excelsas virtudes, uma a de irem "caçar" ao domicilio, outra a de inverter o tradicional circuito de caça: a ida dos grandes centros urbanos para o interior.
A inversão deste circuito, deste surpreendente local de caça, leva o "caça votos" a invadir, não só Lisboa e a sua cintura, como também a pitoresca terra da internacional cantora lírica Luísa Todi, Setúbal.
Atravessar o País para caçar fica caro e só um caçador abonado ou com um determinado fim o pode fazer, acresce que as presas exigem resgate, quatro e cinco anos de dívidas atrasadas, e o cioso "caça votos" depois de as satisfazer, pendura-as no cinto, como um valioso troféu certificado com selo notarial.
Está, assim, a presa nas mãos do "caça votos" apta a ser exposta em qualquer arraial, com a omissão da verdade, que lhe foi escamoteada e escondida, exposta sublinho, como pedra de arremesso para com outros diferentes caçadores da sua consideração e estima.
É do conhecimento genérico de quem caça ou já caçou, casos fortuitos surgidos no seu exercício, que marcaram para todo o sempre qualquer caçador, tanto quanto julgo saber, o "caça votos" deverá ter-se acautelado
não vá ser atingido, na hipótese dum imprevisto surgimento, de tiro do escuro ou de um tiro saído pela culatra.
Hélder Salgado
17-11-2016

Descobri esta e se pudesse se livre para comentar o que diziam'

Anónimo disse...

Tanta conversa e tanto teatro à volta das verdades do Sr. Berbem, como não têm argumentação, vale tudo, até líricas histórias de paixões, como se acha-sem que nos podem distrair e ocultar as verdades, francamente, o que até podia ter graça só demonstra uma tremenda falta de mau gosto, é assim como uma novela pimba com um discurso "inteligente".
Que saiba não tem o Sr. Berbem alguma comutação ou alcunhas por actos menos dignos ou conduta imprópria, por isso, tentar comparar o Sr. Berbem com alguém com tal conduta feia,provada e comprovada, é no mínimo comparar o buraco do ... com a feira de Borba.

Ordenhador

Anónimo disse...


Nos tempos que correm, e depois de ter apanhado alguns "escaldanços", cada vez mais se deve ter em linha de conta o seguinte provérbio:

"Cautela e caldos de galinha, nunca fizeram mal a ninguém"

Não me pronuncio, porque acho que é a atitude mais correcta...

Anónimo disse...

"Cautela e caldos de galinha, nunca fizeram mal a ninguém"
Não me pronuncio, porque acho que é a atitude mais correcta...
23 janeiro, 2017 19:13

Ficamos na mesma, o que é que o seu comentário acrescenta ao debate de ideias?????
JÁ SEI, NÃO SE PRONUNCIA PORQUE É A ATITUDE MAIS CORRECTA.

Anónimo disse...

É pena fazer-se referência a escritores estrangeiros, mestres na sátira, ou noutro tipo de literatura.
Ora, havia necessidade de importar de Espanha literatura, ou autores literários, sabendo-se de antemão que daqueles lados “nem bons ventos, nem bons casamentos”??? Hummmm…Olhe que não…Olhe que não…!!!
Mais ainda, quando o próprio nome do autor lírico espanhol é susceptível de um engano, comparação, ou, quiçá, de um diagnóstico clínico de uma qualquer doença venérea. Ora bolas!
Posto isto, presumo por aqui predomina muita “gonorreia”…ou alguma paixão literária assolapada pelo Luís de Gôngora, mesmo sem haver domínio no castelhano….como o Jorge Jesus…e os seus famosos “oitchtencha e oitcho minutos”.
Assim, a minha “desilusão e ilusão amorosa” só vem confirmar a razão que o meu tinha. Bem dito sejas, Pai!!!
Numa ostensiva demanda literária, porque não fazer referência a um secular e saudoso escritor, autor, e intérprete teatral, mestre na sátira política, social, religiosa e até amorosa, de “fabrico” nacional….Gil Vicente!
De entre as suas obras literárias, a mais famosa e “mais em conta”, não podia deixar de ser… o Auto da Barca do Inferno.
Que, diga-se de passagem, assenta que nem uma luva no presente contexto. Porquê? (perguntam vossas mercês). De raciocínio lógico e perspicaz (para quem o conseguir), por algumas das suas mais irónicas e sátiras personagens…a famosa alcoviteira (e não só…) Brízida Vaz e “O Parvo”…pena não haver nenhum ordenhador!
Brízida Vaz…por existirem muitas(os) por aí…, “O Parvo” porque, infelizmente, vão-se encontrando muitos, e “ovelhinhas e cabrinhas” do rebanho do “ordenhador”….como é bem perceptível e visível aos mais comum dos mortais que por aqui vão passando e lendo.
No que toca ao “ordenhador”, não poderia esperar outra coisa que não fosse o não perceber o óbvio…a sátira. Deveria ficar pelo seu rebanho de cabras e ovelhas e tirar o melhor proveito das mesmas…ao invés de discursar aos setes ventos os seus mais incessantes pensamentos “inteligentes” que saem do seu mais sentido “buraco”…num belo dia de passeio, pela feira de Borba…!
Calma!!! Cada macaco no seu galho!!!
No que concerne ao comentador anónimo:
”…Ficamos na mesma, o que é que o seu comentário acrescenta ao debate de ideias?????
JÁ SEI, NÃO SE PRONUNCIA PORQUE É A ATITUDE MAIS CORRECTA…..”
O comentário deste indivíduo apenas me faz recordar a personagem da Disney e agora presidente dos EUA….Donald!!! Com uma única diferença…é que o comentador acrescentou…”Trump” a este post!!!
Ass: Leonilda Feliz;
e seus amigos, Nando e Idália

Anónimo disse...



OBS.


Se tivesse de responder "à Leonilda e seus Amigos" haveria de nunca responder com trinta e tal linhas às ri sudas 4 que já foram escritas. É paleio a mais para quem anda gozar consigo própria. Por isso,usam-se apenas 4 linhas Chegará?Gil Vicente não está para além do alcance com que é citado?

Saudações Democraticas

ANB

Anónimo disse...

pensamentos “inteligentes” que saem do seu mais sentido “buraco”…


Pelo que descreve e ao que dá a transparecer pela sua prosa eloquente, a Sra. Leonilda em tempos queria qualquer coisa para o seu mais sentido buraquinho,como não teve, anda desconsolada e pelos vistos saudosista, tal foi a paixão.


Força Berbem, não poupe esta gente e diga o que tem a dizer, não estão habituados a ser confrontados, foram 4 anos de quero posso e mando, ao estilo Salgado foram donos disto tudo e querem mais do mesmo, mais mordomias, mais poleiro.

Leonilda, vá dar banho ao cão.

Anónimo disse...

o comentador acrescentou…”Trump” a este post!!!


Quem acrescenta Trunp a este post é o comentador ou comentadora Leonilda, é decerto um problema de buraco.

Maria Ramalho

Anónimo disse...

Pelos vistos, dói o hemorroidal a um ou vários comentadores!!! Ou serão "heterónimos"???
Tal é a galga, e a dor de cotovelo, que o "buraco" não lhe sai dos dedos...ou da boca!
Trinta e tal linhas de um comentário comparadas com o enorme texto miserável, que muito escreve e nada diz, do presente post, e outros a que já vamos estando habituados...aquelas linhas são peanuts!
Não me diga que também vai querer que cante o hino da Maria da Fonte??? Recorda-se a quem obrigava a cantá-lo??? E o local??? Ou tem de ser recordado???
O meu caro faz-me lembrar a teoria de Pavlov...eu escrevo um comentário, que lhe serve de campainha, e vossa mercê vem logo a salivar...
Quanto ao "buraco", cada um verte e "consome" por onde gosta!!! Não condeno a sua preferência! Hoje até parece que é moda...tal o consumismo de alguns!
E continue a "desgarrada" que terei, sempre, resposta adequada...e possivelmente terei de entrar noutros campos ou "espaços inter-galácticos"!!!

Leonilda Feliz

Anónimo disse...

E sobretudo sem vencedores antecipados!
Saudações Democráticas
Antonio Neves Berbem
(19/Janeiro/2017)


O Nabais já ganhou isto, e quem lhe vai dar a vitória é o PS e o MUDA com esta aliança que fizera, não gostam da dita muita gente do PS e do Muda e independentes,sem contar com o apoio que a CDU vai dar tal como deu ao Grilo quando o inimigo a abater era o João Nabais.
Mudam os tempos e os inimigos a abater são agora outros, as alianças de bastidores são outras.

Anónimo disse...

Fui informado desta troca de comentários com alguma polémica e estive a ler com atenção os vários pontos de vista, que são muitos e variados.
Ao estilo Alandroal muita parra e pouca uva, e quando entram os intelectuais com a sua prosa fina e elaborada é de rir pelo ridículo da coisa, e neste caso mais ainda, alguém acusou o toque e ficou a espumar pela boca.

Conclusão:
A meu ver e muito bem, alguém assertivamente comparou uma pessoa,utilizando um proverbio local.
Alguém não gostou, o que é normal.
E como dizia a minha mãe, quem semeia ventos colhe tempestades.

Um bom dia para todos, em especial para o meu amigo Xico Manuel.

Anónimo disse...

Para os que cantavam a boa voz o hino da Maria da Fonte aqui fica o link no youtube, grandiosamente cantando pelo Vitorino. Só para recordar os mais esquecidos. https://youtu.be/lHuJ7AEwrzo

O Republicano