quinta-feira, 27 de outubro de 2016

COMO É POSSIVEL !!!!!!





Fotos: Luís L. Faria

             É A IGREJA (OU O QUE RESTA DELA) DA MISERICÓRDIA DE TERENA

7 comentários:

Anónimo disse...

A igreja católica tem muito dinheiro, que a mandem arranjar, já para não falar das Misericórdias que normalmente tem todas dinheiro e património.
Na minha casa quando faço obras tenho que as pagar, não vou pedir ao Município.

Francisco Tata disse...

Permita-me lá:
A que propósito é o Municipio para aqui chamado?
De uma vez por todas porque se há-de intrometer sempre a politica barata nestas coisas?
Alguma vez o Municipio se mete em assuntos da Igreja?
JÁ CHEGA...O QUE É DEMAIS CHEIRA MAL!

Anónimo disse...

devia-se olhar para a igreja da misericórdia como um bem comum, como património de todos, sabe lá o turista se é culpa da igreja ou da câmara o estado lastimoso a que aquilo chegou. Por falar em turismo é um belo cartão de visita para os turistas o fumo tóxico que provinha dos estaleiros da câmara e do campo de futebol de Terena, não se poderá tratar os resíduos sem se queimarem? Penso que quem mandou atear fogo não deve residir ali por perto.

Anónimo disse...

JÁ CHEGA...O QUE É DEMAIS CHEIRA MAL!

27 outubro, 2016 17:38


Também acho, fui hoje ao campo de tiro de Santiago Maior onde sou associado e a estrada ficou outra vez uma desgraça pela chuva que tem caído, falo do famoso caminho por aqui mais que comentado. Dizia um dos moradores com quem me cruzei no caminho, que todos os anos é a mesma coisa, remendam e em vez de gastarem de vez são as chamadas obras de S. Engrácia.
Dizia o Senhor e a Senhora que o acompanhava que os moradores como utentes mais afectados já não vão dizer mais nada aos autarcas competentes que temos, ao que dizem é tempo perdido, para alem do mau caminho são silvas de um lado e de outro e nem o Município ou junta de freguesia fazem seja o que for sem que as pessoas tenham que andar a pedir por favor para que algo seja feito.
Assim vai o Alandroal no tempo CDU.

Anónimo disse...

Alguém pôs uma chapa para não chover dentro..., bendito seja. O telhado deve ter abatido.
A linda talha barroca, o pórtico e o púlpito em mármore da região ainda estão facilmente recuperáveis, assim como o edifício.
O problema são os $$$, quer dizer, a sua falta. A discussão de quem deve pagar é como metermos um cão num saco de gatos. Ainda agora começou e já aqui temos prova.
E que dizer da ermida da Consolação? O problema é idêntico..., também é para vir abaixo.
Tenho pena de centenas e centenas de obras de arte do nosso património votadas ao abandono. Não o mereciam nem as gerações passadas, nem as futuras. À nossa cabe a culpa: gente sem tino, sem tato e com muito tédio dentro da cabeça.
Se é à Igreja ou ao Estado que compete pagar..., num país "à séria" resolver-se-ia com uma rápida e aturada investigação policial.

Cumprimentos

LFG

Anónimo disse...

Se é à Igreja ou ao Estado que compete pagar..., num país "à séria" resolver-se-ia com uma rápida e aturada investigação policial.

Cumprimentos

LFG


Caro comentador LFG, têm toda a razão, mas enquanto não vem a investigação policial no caso da igreja, que o Município arranje de vez a dita estrada que constantemente é por aqui comentada, pois aí não temos dúvidas de quem é ou não é o responsável e quem têm a competência de manter em condições a mesma. É uma estrada comunitária que serve diariamente várias famílias, que serve uma associação, e que já várias vezes foi pedida uma intervenção com assinaturas dos utentes. O que tem acontecido é que todos os anos remendam e gastam em vez de atacar o problema de vez, acções cosméticas para calar as pessoas e dizerem que fazem.
Quando for ao campo de tiro e por ali passar vou tirar umas fotografias e enviar para este blog, espero que depois das provas toda a gente comente e diga de sua justiça. Se os nossos governantes tivessem que percorrer com os seus belos carrinhos diariamente aquele caminho, que no inverno é só pedras e lama, no verão pedras e poeira que até se enfia nas cuecas,já estava o problema resolvido, não tem as pessoas direito a ter um automóvel limpo e sem riscos causados pelas silvas que ladeiam a estrada, se o lavam em casa assim que sai fica que parece ter feito o rali vinho do porto, se o lavam fora de casa assim que fazem os últimos metros para chegar à sua habitação parece que vieram do Paris Dakar, fora os pneus que se cortam e suspensões que estão sempre a precisar de oficina.
Anda por aqui alguém a gozar com as pessoas, se não andam, parece, continuamos a viver num Concelho onde há Munícipes de primeira, e de terceira, é também assim a cdu.

Sofia Arez disse...

Um dia todo o mundo será esclarecido, documentalmente, com a verdade