segunda-feira, 25 de julho de 2016

MEMÓRIAS

          PROCISSÃO DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO – FESTAS 1950

Atente-se no pormenor da rua, nas janelas devidamente engalanadas, e na canioneta do Sr. Joaquim Martins, posteriormente oferecida pelo Sr. Alberto Casaca aos Bombeiros do Alandroal

14 comentários:

Anónimo disse...

Pois é, na época em que os Endovélicos eram outros, e tinham o apoio de toda uma comunidade, eram tempos onde se respeitavam as tradições e todos ajudavam até o o MUNICÍPIO.

Anónimo disse...

O Sr Joaquim Martins foi Presidente da Cãmara do Alandroal durante muitos anos. Lembro-me muito bem disso. Destas imagens não me lembro pois não era nascida, mesmo assim obrigada por nos recordar essa linda vila noutros tempos.
Maria Mira

Anónimo disse...

Diz muito, esta linda vila noutros tempos.

Anónimo disse...

Havia mais pobreza, quer aqui como no resto do País, mas havia mais amizade entre as pessoas, as pessoas eram mais cultas embora com menos escolaridade, e havia o culto por as coisas boas,pelo bom gosto, não era qualquer borra botas a cantar desafinado com meninas a mostrar as perninhas que punham cá as nálgas na nossa festa de Setembro.
Uma vergonha o que estes executivos e estas ditas " associações " tem feito.

Anónimo disse...

Até já das associações dizem mal, xico filtre melhor isso.

Francisco Tata disse...

Não me parece que a "filtragem" se justificasse neste caso.
É ou não verdade que a parte de variedades que ultimante tem actuado nas Festas do Alandroal é da responsabilidade das Associações? Pelo menos assim foi dito e escrito por quem responsável. É ou não verdade que as referidas atrações se fazem acompanhar nas suas actuações por esculturais figurantes de pernas ao leu (eu até gosto).
O comentador tem todo o direito de achar mal, assim como o amigo lhe assiste o direito de achar que assim está bem.
Opiniões!...

Anónimo disse...

Pro comentador das 15:19.
Não podemos ser assim tão negativos. Não podemos passar o tempo a criticar. Fazer diferente é saudável, não pode ser sempre como nos seculos passados. São sinais dos tempos. Os tempos mudaram, as sociedades também. Nada é estanque, o mundo está sempre em movimento e as pessoas, que fazem o mundo e as sociedades também devem evoluir e não parar. Eu cada vez que vou ao Alentejo vejo sempre melhorias, nada está como há 40 anos quando dai saí. Ainda bem que as povoações e as populações têm evoluído. Parar é morrer. Eu não gostava que o meu Alentejo estivesse igual àquele que eu vivi. Se calhar as pessoas que aí vivem queriam mais, é natural, é próprio do ser humano desejar sempre melhor. Mas nem sempre pode ser como queremos.
Obrigada a todos os que têm contribuído para a mudança.
Maria Mira

Anónimo disse...

Anónimo disse...
Até já das associações dizem mal, xico filtre melhor isso.

26 julho, 2016 16:33


O Xico até pode filtrar, mas eu vou ter que lhe responder caro comentador.
Acha o amigo bem que as associações ou alguém que escolhe pelas associações só tragam à nossa festa musica pimba da pior qualidade??????
E já agora a que associações se refere, ás que são dignas do nome ou aquelas criadas apenas como grupo satélites de clubismo político e com finalidades que ofendem o associativismo?????
É que desse associativismo te que se dizer mal, ou não acha??????
Sabe caro comentador, o Alandroal é pequeno e todos se conhecem e trocam impressões, estou contente porque este ano vem um artista da ária do fado que tem qualidade e é um nome de prestigio do fado actual, claro que não vem pelas associações, ao que me informaram é a junta de freguesias que vai patrocinar. Curiosamente era para actuar no sábado que para muitos será o dia mais importante da festa, mas a pedido das associações, ou de alguém que manda nas associações, mudara o dito cantor para sexta- feira e vem um pimba de terceira divisão, dos tais dos programas televisivos estilo João Baião, que não cantam coisa nenhuma, ser o cabeça de cartaz das festas do Alandroal, contratado claro está pelas associações que primam pela qualidade e prestigio que dão à nossa festa.

E por aqui me fico, palavras para quê.

Anónimo disse...

" Fazer diferente é saudável,"
Tem razão, se esse diferente for para igualar ou melhorar se for para piorar fazer diferente não tem nada de saudável.

"Eu cada vez que vou ao Alentejo vejo sempre melhorias, "
Isso é porque não vive por aqui a tempo inteiro, em algumas terras do Alentejo isso até é verdade, no Alandroal aos dias de hoje, não.

"Parar é morrer."
Se é, não podia estar mais de acordo, mas infelizmente caro amigo o Alandroal não está parado, está quase morto.

"Obrigada a todos os que têm contribuído para a mudança.2
Aí é que é difícil caro comentador, de que mudança fala? Da autentica não se tem visto, da apregoada e prometida sim, só conversa da treta por isso estamos como estamos.

Bom tarde caro amigo, e desculpe a franqueza.


Anónimo disse...

Na era das redes sociais!...em que toda a gente se mostra no facebook e noutras redes, não entendo o porquê de todas as pessoas escrevem e comenta no anonimato. Até podiam usar o nome que menos os identifique ou menos conhecido, mas...na minha cultura e na minha aprendizagem o anonimato é muito estranho. Parece que estou a falar com alguém sem rosto. No entanto entendo que estão no seu direito. Felizmente somos livres. Mas também por sermos livres e termos liberdade de expressão não podemos ter medo de assumir as nossas posições na sociedade em que vivemos. Peço desculpa mas é tão só, e apenas, um desabafo. Não quero que alguém fique ofendido.
Maria Mira

Anónimo disse...

Muito sensato o comentário da Maria Mira, concordo completamente, o "dantes é que era bom" tem muito que se lhe diga.

Anónimo disse...

Pois, mas o "agora é que é bom " também tem muito que se lhe diga, cada um com a sua, opinião.

Anónimo disse...

Na era das redes sociais!...em que toda a gente se mostra no facebook e noutras redes,


Fale por si minha Senhora, eu não me mostro em redes sociais,nem todos gostam de saber da vida dos outros nem de partilhar a sua vida com ninguém.

A coscuvilhice só mudou de estilo, deixou de ser à janela, ou nas praças, mas o mau hábito continua bem presente nas pessoas, é agora global, está na moda e bem vista.

Joana Morais

Anónimo disse...

Eu também não me mostro nem falo da vida de ninguém nas redes sociais. Mas também não critico quem o faz. Como digo somos livres, felizmente. O que eu quero dizer no meu comentário do dia 27 é bem diferente. Estou simplesmente a constatar, e francamente estranho, que quase todos os comentadores sejam anónimos. Penso que um comentário com nome, como a Senhora D. Joana fez (colocou o nome) e como eu faço sempre, fica mais agradável, até para o bom nome do Blogue. Mas isto é a minha opinião. Compreendo que não seja importante porque muito do que se comenta aqui não passa de desabafos, opiniões, lamentos e uma constatação de situações que as pessoas querem dar a conhecer.
Maria Mira