sexta-feira, 20 de março de 2015

SUGESTÕES

                                           ALANDROAL


                                              ROSÁRIO
                                                         ÉVORA


19 comentários:

Anónimo disse...

Estive no Festival de Jazz de Elvas no sábado e gostei do que vi e principalmente do que ouvi, em conversa com colegas do Município de Elvas e alguns músicos locais que conheço, parece que o Festival correu bem.
Festival organizado em parceria com o Município de Elvas e pelo cantor Elvense Jorge Goes.
É engraçado que o Jorge Goes era um assíduo frequentador do Fórum Cultural do Alandroal quando este teve uma programação digna de um auditório Municipal e em Elvas nada se passava com qualidade, pelos vistos aprenderam pelo Alandroal qualquer coisa e põem agora em prática nas suas terras.
Também já fomos por estas paragens pioneiros em organizar festivais de Jazz, pena que o tenham morto à nascença e não tenha tido continuidade, foi de facto o dito substituído por algo nunca visto nem conseguido, coisa que todos nos demos conta a não ser os que disfarçam pelo total fracasso e teimam a chamar preto ao que é branco.
Bem, por aqui me fico porque a língua começa a ficar solta e lá terei que escrever o que decerto o XICO não pública.
Uma boa semana para todos e todas.

Já agora e para que não mandem bocas, trabalho no Município do Alandroal e estou a colocar o meu comentário a esta hora porque não estou a trabalhar hoje, ao contrário de muitos colegas, alguns até incumbidos de o fazer,no meu caso e de muitos nas horas de trabalho não há net para ninguém.

Anónimo disse...

Um festival de JAZZ em Elvas, e porque não no Alandroal????
Já por cá tivemos, mas ao que se vê os festivais, agora, são de outras musicas.
Há de facto gostos para tudo.

Velho da FONTE.

Anónimo disse...

NESTAS COISA COMO EM TUDO, O MUNDO É PEQUENO E HÁ COISAS QUE NOS FAZEM PENSAR.
TAMBÉM CONHEÇO O CANTOR DE ELVAS QUE O COMENTADOR FALA E DE FACTO IA MUITAS VEZES ALI AO FORUM E VEJAM LÁ QUE NO CARTAZ DO FESTIVAL DE JAZZ DE ELVAS FAZ PARTE O PIANISTA MIGUEL BRAGA QUE ACTUO ALGUMAS VEZES AQUI NO ALANDROAL E POR ACASO TAMBÉM NO FESTIVAL DE JAZZ DO ALANDROAL.
ISTO HÁ CÁ UMAS COINCIDÊNCIAS, OU SERÁ SÓ ACASO.
ACHO QUE O COMENTADOR ACIMA TEM ALGUMA RAZÃO QUANDO DIZ QUE HÁ QUEM TENHA APRENDIDO NO ALANDROAL ALGUMA COISA E O QUE VOS ROÍ É QUE FOI NO TEMPO DO NABAIS.
FEZ DE FACTO MUITA MMMMMM, COMO TODOS OS OUTROS, MAS ALGUMAS COISAS BOAS, TAMBÉM COMO TODOS OS OUTROS.

TOPA TUDO, OU QUASE.

Anónimo disse...

"Há de facto gostos para tudo.

Velho da FONTE.

23 março, 2015 11:09"

Mas qual jazz, isso é alguma coisa, o que é isso afinal.
João Baião e gente que não canta nada e gajas a mostrar o rabito isso sim é bom, é disto que o meu povo gosta.
Vai no bom caminho cara Presidente, fica-lhe bem a escolha, afinal o azeite vem sempre ao de cima e há muito por aqui.



Anónimo disse...

afinal o azeite vem sempre ao de cima e há muito por aqui.




23 março, 2015 14:11

TEM TODA A RAZÃO, CADA VEZ HÁ MAIS AZEITEIROS E AZEITEIRAS NO ALANDROAL A PRODUÇÃO ESTÁ EM ALTA E É SÓ GALEGA.

Anónimo disse...

Encontros de saias é o que por aqui está a dar amigos e amigas.
O que não for alentejano, aqui não tem lugar, isto é gente muito terra a terra, tem tudo que ser património, saias, vestidos, lenços, alentejanos claro.
É, por aqui moda é ser rústico, o resto é para as cidades, jazzes é para outras gentes.

Anónimo disse...

Festivais do que é nosso sim, agora os outros que promovam as suas coisas, o jazz é da América eles que façam festivais.
TEMOS É QUE ESCUTAR O QUE É NOSSO NO ALENTEJO O QUE É DO ALENTEJO.

Anónimo disse...

Tem razão o cante é património da humanidade tem que se investir é no Alentejo e nas suas origens o resto passamos bem sem, é secundário.

Pescador do Rio

Anónimo disse...

ASSIM É QUE É FALAR , VIVAM AS SAIAS E O CANTE, O RESTO É ESTRANGEIRADA E DEITAR DINHEIRO À RUA, UM FADINHO E UMAS BANDAS AINDA VAI , AGORA O RESTO.
GASTEM É DINHEIRO NO QUE AS PESSOAS GOSTAM, FAÇAM UMAS GARRAIADAS TRAGAM CÁ O ZÉ MALHOA E VÃO VER O QUE É FESTA.
ANDA TUDO ARMADO EN INTELECTUAL DA TRETA MAS TODA AGENTE GOSTA É DA PIMBALHADA, NÃO VIRAM O JOÃO BAIÃO.

Joaquim Chibinho

Anónimo disse...

Toda a gente não, fale por si,há gente de bom gosto neste Alandroal e neste Concelho Sr. Joaquim, e de facto há intelectuais da treta mas também os que o são com humildade e não fazem jus disso, gente que tem alguma cultura e não vai em futebóis nem em coisa medíocres, nem em folclore barato.

Anónimo disse...

Para os comentadores de 23 março, 2015 20:17 para o Pescador do Rio e para o Sr, Joaquim Chibinho e compadres, que pelos vistos desconhecem que o Jazz há muito é património imaterial da humanidade e como tal de todo o Mundo, até do Alandroal, vai aqui o meu recado a brincar, mas para pensar, isto se forem capazes.


O verdadeiro Alentejano só ouve cante e mais nada, não anda de automóvel porque no Alentejo não se fabricam, transporte só de carroças certificadas e com mulas e machos de origem alentejana.
Tabaco só barbas de milho, e bebidas só do Alentejo, bom bagaço, bom tinto, mas alentejano, o resto não se pode consumir, não é bom e não tem interesse, qual vinho do Douro, qual conhaque e champanhe, isso não presta não é daqui, é como os estrangeiros que por cá estão, porque é que não vão para a terra deles, não são alentejanos não prestam.
Um verdadeiro alentejano não pode gostar de teatro que não seja de autores e atores alentejanos, bonecos de S. Aleixo sempre, tudo o resto o verdadeiro Alentejano não consome, cinema só sobre o Alentejo e com atores alentejanos o outro é proibido, qual cinema americano, se não é alentejano é puro lixo.
Qual musica clássica, qual jazz, qual tango, qual flamenco, qual morna, isso é tudo estrangeirada, até o fado tem que ser com fadistas do Alentejo e guitarristas alentejanos, o resto não é fado.
Musica pimba só a Rosinha de Campo Maior, o Tony Carreira, o Zé Malhoa e até o Quim Barreiros é gente do Norte e como tal é pimba foleiro, e isso um Alentejano não gosta.
Carne, peixe e fruta só do Alentejo, bananas é para macacos, marisco e peixe de mar, não, só peixe do rio e do Alqueva e ribeiras Alentejanas.
Roupa só safões e botas cardadas, o resto o Alentejano não pode vestir, cuecas só de sarapilheira, quais bóxeres, ou tanguinhas, isso não se fabrica por aqui nem é genuinamente Alentejano, como tal não se deve usar, no verão anda-se nu, como Deus nos fez, e até mesmo Deus tem que se lhe diga, se não nasceu no Alentejo, o melhor é ir pregar para outra freguesia, porque aqui só coisas autenticas, só o que é nosso.
Futebol só com bolas feitas no Alentejo, com os apitos do árbitro feitos no Alentejo e com jogadores Alentejanos tipo o Figo, agora Ronaldos e afins isso é só porcaria, não nasceram aqui, não viveram aqui, não presta essa gente, e se as sementes dos relvados não foram do Alandroal, então é que o futebol é lixo toxico. Qual liga da Europa, o alentejano tem a sua própria liga, genuína, autentica, fiel às suas raízes e é essa que temos que promover e divulgar.
Canais de televisão só se forem alentejanos e os programas falarem sobre a nossa cultura, o resto não se pode ver em casa de um alentejano que defende o seu património, até os caçadores têm que deixar de o ser porque não há espingardas feitas no Alentejo e um alentejano que atira com uma espingarda estrangeira é um traidor.
E os pescadores são todos uns alentejanos da tanga, UNS VENDIDOS, pescam com canas que não são fabricadas no Alentejo nem em Portugal e os que recorrem a um qualquer pau alentejano tem o fio de nylon, e as redes de nylon são. Os criadores AMERICANOS ,dessa fibra, diante da necessidade de dar-lhe um nome, decidiram juntar as iniciais de New York, com as três primeiras letras de London, dando origem à palavra nylon, os que pensam que o dito material é alentejano, NOSSO, estão enganados é da América é como o JAZZ.
Caro comentador há de facto gente parva em todo o lado.

Anónimo disse...

Ainda cá anda o João Baião?

Não tem mais nada de que falar?

Informem-se, por exemplo do número de famílias no concelho a viver abaixo dos limites humanos de sobrevivência.

Da enormidade de desempregados.

Dos GRAVÍSSIMOS problemas criados ao Serviço Nacional de Saúde ... DE TODOS NÓS.

Das pessoas que já não tem dinheiro que lhes baste para SE MEDICAR.

INTERROGUEM-SE, INFORMEM-SE para "escrever" porra!!!!!!!!!!!!!!

E quem foi ou são os criadores DO MONSTRO?

Não me venham com parvoeiras denegrindo a imagem das pessoas.

Como é o caso do Zé Carvalho. O rapaz está SATURADO com as voças opiniões MALICIOSAS sobre o que outros COM ELE DEVERIAM FAZER.

Basta Sr. Francisco Manuel

Fico-me por aqui, com respeito

Alandroalense (de todo o Concelho)




Francisco Tata disse...

Mas "basta Sr Francisco Manuel" - porquê?
Tinha que sobrar para mim? !!!!
Ora essa... então eu tenho alguma culpa de as pessoas aqui exprimirem os seus gostos musicais, e sugerirem outros tipos de espectáculos?
Mais fora do contexto está o seu comentário, que numa questão de eventos recreativos vai colocar questões humanitárias e abrir feridas em muitos que sofrem na pele a má gestão dos responsáveis politicos que nos têm governado.
Tal como o fez, deixe os outros tambem emitirem a sua opinião.

Anónimo disse...

Anónimo Anónimo disse...
Ainda cá anda o João Baião?

Não tem mais nada de que falar?

Informem-se, por exemplo do número de famílias no concelho a viver abaixo dos limites humanos de sobrevivência.

Da enormidade de desempregados.

Dos GRAVÍSSIMOS problemas criados ao Serviço Nacional de Saúde ... DE TODOS NÓS.

Das pessoas que já não tem dinheiro que lhes baste para SE MEDICAR.

INTERROGUEM-SE, INFORMEM-SE para "escrever" porra!!!!!!!!!!!!!!

Tem toda a razão , são problemas reais e a maioria das pessoas está informada e tem essa noção da realidade, ao contrário dos nossos governantes do País e no Alandroal a nível local , que preferem gastar dinheiro com o tal JOÃO BAIÃO que ainda aqui anda e muito bem, do que o gastar em coisa mais prioritárias ou então em cultura séria pois a dita também é prioritária e faz falta como pão para a boca embora haja pessoas que não o entendem.

Com todo o respeito Sr. Francisco, comentários que falam de bugalhos quanto o tema são alhos não deveriam entrar, mas o Sr. é que sabe e os meus parabéns pela coragem que tem em publicar certas coisas que o Sr. melhor que ninguém sabe que incomodam muita gente.
Continue a incomodar, faz falta.

Anónimo disse...

Comentador ou comentadora de 24 março, 2015 00:04

GRANDE COMETÁRIO

Gostei, tem de facto graça e obriga a pensar sobre atitudes e mentalidades.

Mostra de forma simples e com humor que um festival de musica de qualidade tem sempre cabimento em qualquer lado e se enquadra em quase tudo, não desvirtua, ao contrário de coisas sem nível nenhum e más, isto no meu ponto de vista e certamente de muita gente.

COMENTÁRIO DIGNO DE DESTAQUE SR. ADMINISTRADOR.

Anónimo disse...

"Como é o caso do Zé Carvalho. O rapaz está SATURADO com as voças opiniões MALICIOSAS "

Percebo e concordo, mas quem aqui vem falar no nome do rapaz é o amigo, o que se fala aqui é sobre um festival de jazz que já tivemos e não temos e que na opinião de algumas pessoas não deveria ter acontecido e de certo há os que concordam e os que não concordam, os que lhes é indiferente e outros não, os que gostariam de ter o dito festival de novo no Concelho e outros nem pensar, e por aí fora.
O rapaz como o Senhor o trata lá porque foi quem organizou o dito festival como todos sabemos, não é para aqui chamado, o festival nunca foi sua propriedade mas do Município do Alandroal, foi este que o começou e foi este que com o dito acabou, por decisões de "políticos" e " governantes" e isso é que importa aqui debater.

Anónimo disse...

Acabar com o que já existe mesmo que seja uma mais valia e até gabado por quem afinal não lhe dá continuidade é fácil pelo menos aqui no Alandroal,é uma contradição, não bate a bota com a perdigota, mas no Alandroal estas faltas de convicções são normais e acontecem, já começar algo de novo e conseguir que resulte é mais complicado como se viu com o vergonhoso nunca visto que em 4 anos pouco conseguiu.
Foram muitos ódios,muitas perseguições pidescas, muita terra queimada a coisas e pessoas que por aqui se passaram aos olhos de todos e não admissíveis nos dias de hoje, uns fingiram que não viram por conveniência e outros não perdoam tal estado de ditadura pura e dura que por aqui se viveu durante 4 anos.

Ainda se sente no ar esse estigma, as pessoas tem receio de dizerem o que pensam, nada acontece de sério, vamos vivendo, ou melhor sobrevivendo dia a dia.
Festival de jazz no Alandroal, também gostava, não passaram muitos anos, mas já parece uma eternidade e algo impossível de voltar a conseguir.

Paulo Oliveira

Anónimo disse...

O problema é que muita gente que não liga peva a estas coisas das colturas seja o que for, pensam que toda a gente tem que ser assim, desinteressada, obtusa, ignorante.
Tudo o que não seja caça e pesca, coisa que gosto e pratico, que não seja cavalos e toiros, coisa que gosto mas não pratico, tirando isto e talvez um fadinho e umas bandas de vez em quando, o resto não faz falta.
Temos o povo que temos por culpa de quem o devia interessar e " educar " nestas coisas do gosto e do conhecimento.
Serão uma minoria as pessoas do Concelho do Alandroal que necessitam e sentem falta de acontecimentos culturais, tal como são a minoria em qualquer terra deste nosso Portugal, mas isso não significa que não se respeite por aqui essa minoria como se respeita em qualquer sitio civilizado.

Um bom dia.

Anónimo disse...

tanta conversa da treta sobre festivais disto e daquilo , do que já tivemos e não deviamos ter deixado de ter, do dinheiro que não há mas que se gasta onde não devia, enfim, é muita conversa mas não os vejo fazer nada nem as vossa e minhas opiniões vão mudar seja o que for.
A verdade é que os outros vão fazendo, pelo que se vê estão agora a fazer o que por aqui já foi feito embora com pouca duração, infelizmente para o Concelho e para as pessoas, pelo menos para algumas.

Na verdade os outros tem e nós não e é sempre mais doloroso ter e deixar de ter.