segunda-feira, 6 de julho de 2015

APENAS COM A FINALIDADE DE INFORMAR – NO ENTANTO TAMBEM PODE SER ENTENDIDO COMO SUGESTÃO.

No passado Sábado o meu serão televisivo dividiu-se a ver o Argentina – Uruguai (Final da Taça América) e o Inglaterra - Alemanha (3º e 4º lugar – futebol feminino – Campeonato do Mundo). Aproveitei o intervalo dos jogos (coincidentes), para fazer o habitual zapping.   Na RTP Informação, deparei com o programa «Grande Entrevista» no qual Vitor Gonçalves entrevistava José Cid. Nessa altura da entrevista falava-se de religião e o entrevistado tecia considerações a propósito do deus Endovélico. Claro que me despertou a atenção a ponto de hoje, Domingo, ir rever toda a entrevista. Diga-se de passagem que admiro o poeta, musico, compositor e cantor em questão, que considero a par de um Vitorino, Paulo Carvalho, Fausto, Carlos do Carmo um dos grandes responsáveis pela boa música que se fez e se vai fazendo em Portugal. Do que disse José Cid apenas posso adiantar que a par de revelações totalmente desconhecidas do grande público, foi o mesmo frontal e sem papas na língua no que diz respeito a muita porcaria que enxameia a verdadeira música dita portuguesa.

Mas debrucemo-nos sobre o motivo que me chamou a atenção desta entrevista: o culto ao deus Endovélico.
Falando de Religião, José Cid, não renegando a Fé Cristã, e o culto a Nossa Senhora de Fátima (curiosamente na parte da tarde havia visto um filme/documentário, no Telecine 2, protagonizado por José Saramago e sua esposa Pilar [agora viúva], em que o mesmo renegava a existência de Deus), José Cid afirmava que a verdadeira religião que seguia era a do Deus Endovélico, historiando as origens do culto, e como o mesmo foi extinto pelos Romanos.
Só que o “devoto Endovélico” acrescentou que apenas em Sintra havia vestígios da existência do referido deus, onde se poderia encontrar uma Anta no cume da serra da referida localidade.
Esperava, confesso, que a devoção de José Cid o levasse a ter conhecimento não só dos “achados” do Alandroal, como da existência de S. Miguel da Mota, dos trabalhos desenvolvidos pelos estudiosos da questão a expensas da Camara Municipal do Alandroal e porque não do Festival que se aproxima como da recriação do referido culto.

Chego assim à sugestão:
Não seria, por quem de direito fazer chegar a José Cid não só todo o trabalho feito em prol da divulgação do Culto, das Estátuas encontradas, do futuro Museu, do Festival que se vai realizar?
Conhecida que é a “boa vontade” muitas vezes demonstrada pelo Cantor em colaborar em determinadas causas, não seria possível que o mesmo fosse atração principal numa futura Semana do Endovélico?
Pelo menos em futuras entrevistas poderia dar a conhecer que no Alandroal se trabalha e bem em prol da divulgação do deus Endovélico, e quem sabe que sendo assim tão devoto ao referido Deus não passasse a ser um visitante assíduo na nossa terra.
À consideração de quem de direito.
Chico Manuel


10 comentários:

Anónimo disse...

Francisco, não ouvi a entrevista de José Cid, portanto as minhas considerações são apenas sobre o que diz que ele falou na entrevista. E do que falou, se assim foi, pouco acertou.
Apesar de se saber pouco sobre Endovélico e o seu culto, há alguns aspectos que são ponto assente, e outros que são aceites pela maioria dos investigadores, como:
Os romanos não extinguiram o culto a Endovélico, muito pelo contrário, aquilo que se conhece deste Deus é graças ao facto de eles terem continuado o culto; todas as lápides votivas encontradas em São Miguel da Mota são de Época Romana, escritas em latim e dedicadas por romanos ou por indígenas "romanizados". Todo o espólio encontrado, tanto durante as escavações da Faculdade de Letras de Lisboa e do Instituto Arqueológico Alemão, como à superfície, pertence à Época Romana. Não existem quaisquer evidências arqueológicas, e muito menos históricas, da existência de Endovélico em período pré-romano, apenas se considera um Deus indígena (neste caso do território que é hoje do Concelho do Alandroal) porque a origem do seu nome não é, de todo, latina.
Também se nota uma grande confusão na cabeça do artista quando fala de uma anta e a liga ao culto a Endovélico, uma vez que este é um monumento funerário pré-histórico construído, milénios antes da altura em que se considera ter sido adorado Endovélico, com a finalidade de sepultar os mortos. Poderia, como em alguns casos, ter sido reaproveitado noutras épocas e com outras finalidades, mas não é, de todo, prova de adoração a Endovélico nem a nenhum outro Deus.
Não há um único vestígio, conhecido até ao momento, nem em Sintra nem em nenhum outro local do mundo do culto a Endovélico, a não ser no alto de São Miguel da Mota no Alandroal! Apenas as lápides que conhecemos daqui falam do Deus Endovélico, que é considerado um Deus tópico, ou seja, do lugar, que só era cultuado aqui. Em Posto Loboso, Espanha, foram encontradas 3 ou 4 lápides que referem Vélico, contudo julga-se não ser o mesmo Deus, e que a partícula Endo significa o maior, o máximo, ou seja, o superior.
Endovélico foi, até evidências em contrário, um Deus daqui, adorado por muitos, adoração essa que se reavivou na última década.
Conceição Roque

Francisco Tata disse...

Obrigado Conceição pelo esclarecido comentário. No meio de tantas "barbaridades" que por aqui se debitam, sinto-me duplamente feliz por ter um comentário que me apraz ler e por verificar que a minha observação despertou atenção por parte de quem sabe do que fala.
Quando escrevo «devoto endovélico» refiro-me ao J.Cid e coloco devoto entre comas precisamente por duvidar que seja assim tão conhecedor desse culto. Aliás sendo eu um leigo na materia tambem vi logo que o homem nada sabia a proposito do assunto. Dai a minha sugestão para que se enveredassem esforços para que o mesmo tomasse conhecimento do excelente trabalho que se tem vindo a desenvolver no Alandroal sobre o assunto, na medida em que quer se queira, quer não, José Cid é alguem no panorama intelectual deste País.
Mito obrigado pela atenção
Chico Manuel

Anónimo disse...

Mas estão a falar do José Cid cantor, o que agora editou um cd que se chama MENINO PRODÍGIO que é o próprio, assim se julga ele.
Com todo o respeito um homem e compositor que faz uma musica "como o macaco gosta de banana eu gosto de ti" não é de levar muito a sério, e musicalmente duvidoso, digo eu.

Francisco Tata disse...

É a sua opinião! Merece todo o rspeito e portanto aqui fica.
Mas repare não é bem dos dotes de compositoer e interprete que estamos a falar. É de coisa mais séria e que diz respeito ao Alandroal que muito tem investido nesta tematica.
Chico Manuel

Anónimo disse...

E de facto o José Cid entra aqui como peixe na água, e que tal o Tony Carreira que também é uma pessoa muito sensível principalmente quando recebe aos milhares do Continente, e nada como o Cid e o Tony para falar e promover o Endovélico do Alandroal, tem o perfil ideal para a causa.

"Conhecida que é a “boa vontade” muitas vezes demonstrada pelo Cantor em colaborar em determinadas causas, não seria possível que o mesmo fosse atração principal numa futura Semana do Endovélico?"

Olhe que as aparências iludem e fala de certo o Xico como admirador do artista, mas fala do que não sabe pois não conhece a pessoa e o que lhe digo é que o rapaz gosta muito é do seu umbigo e de dinheirinho, não dá ponto sem nó, para alem de gostar de bananas como o macaco como o próprio assume, mas isso são gostos pessoais e individuais e vivemos em democracia.

Fala o Xico e muito bem em nomes como Carlos do Carmo, Paulo de Carvalho, Vitorino, são de facto de uma divisão cultural que o Cid não tem entrada e qualquer um deles traria mais dignidade ao Endovélico quer a nível musical e outros.

Isto também é só a minha opinião e vale o que vale, ou seja, nada.

Anónimo disse...

Concordo com o comentador de 07 julho, 2015 10:24, e ainda vou mais longe.

Se querem promover o Endovélico tem que o complementar com algo em grande a nível cultural e lúdico que seja comentado a nível nacional, tem que ser a sério pelo menos durante uns anos e com muita qualidade e há possibilidades de tudo isto ser pago por apoios comunitários, que não andem a dormir e que arranjem alguém com capacidade para conseguir os apoios disponíveis mesmo que seja um profissional que não seja da CDU, até pode ser do CDS, parem lá de misturar trabalho com conhaque porque assim não vamos a lado nenhum.

Porque não trazer uma orquestra sinfónica como a Orquestra do Sul que vai estar nas ruas floridas no Redondo com o Vitorino e os Cantadores do Redondo como convidados, fazendo a mistura da musica clássica com o cante Alentejano.

E ao que sei é um projecto que vai ter vários espectáculos pelo País organizados por Municípios , espectáculo produzido e criado por uma empresa do Concelho do Alandroal vejam só.

Não andarão as pessoas de costas voltadas e a remar em sentido inverso quando aqui à porta estão as pessoas certas para as coisas poderem andar para a frente com a qualidade que se impõe???

Fica no ar a pergunta.

Francisco Tata disse...

Todas as opiniões são válidas e merecem ser debatidas. Evidentemente que comentários que nada acrecestam, como opinar a qualidade das letras do cantor, o genero de musica, chegando ao ponto de se pretender divulgar aqui letras de musicas, considero que não merece a pena perder tempo, até porque gostos não se discutem. Cada um gosta do que gosta e ninguem tem nada com isso. Sugestões para que se possa contribuir para uma maior projecção do Alandroal, agradecem-se, opiniões fora do contexto, dispensam-se.
O verificar que o assunto Endovélico não passou despercebido, já mereceu a pena o "alinhavar" algo sobre o assunto.
Aprender algo a propósito do tema por intermédio do primeiro comentário já me compensou.
Chico Manuel

Anónimo disse...

PERTINENTE E INTELIGENTE O COMENTÁRIO DE 7 JULHO 2015 13:45.

DEIXA E BEM A PERGUNTA NO AR, JÁ RESPOSTAS NÃO VAI TER DECERTO MUITAS PORQUE O ASSUNTO É INCÓMODO.
DA MINHA PARTE ENTENDO E CONCORDO COM O QUE QUER DIZER, PARA SE PROMOVER SEJA O QUE FOR É PRECISO INVESTIMENTO E PROFISSIONALISMO E NÃO DE FORMA CASEIRA E ÁS TRÊS PANCADAS COMO TEM VINDO A PROMOVER O ENDOVÉLICO.
PROMOVEU SEMPRE MAL O SR. JOÃO GRILO E CONTINUA A SER MAL PROMOVIDO E DIVULGADO COM A SRA. MARIANA.
EM RELAÇÃO À QUESTÃO DE NÃO CONSEGUIRMOS APOIOS COMUNITÁRIOS AO CONTRÁRIO DE OUTROS MUNICÍPIOS É MAIS QUE SABIDO QUE NÃO TEMOS NINGUÉM À ALTURA PARA OS CONSEGUIR E A RESPONSABILIDADE DESSA LACUNA É DE UMA SÓ PESSOA, DA ACTUAL PRESIDENTE.
SOBRE A QUESTÃO DE ANDAREM PESSOAS DE COSTAS VOLTADAS, ISSO É MAIS QUE EVIDENTE E NOTÓRIO.

TÃO AMIGOS QUE JÁ FORAM.

MUDAM-SE OS TEMPOS MUDAM-SE AS VONTADES E OS INTERESSES.

E POR AQUI ME FICO.

Anónimo disse...

Muito bom o comentário da Dra. Conceição Roque.

Anónimo disse...

Não tem que agradecer Francisco. Mal seria se, como cidadã e arqueóloga, e com o pouco que sei, não tentasse contribuir para o esclarecimento destes pequenos mal entendidos.
Conceição R.