quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

"CANTARES DE AMIGO"

                                                               RETRATO DE UM AMIGO

João Ribeiro, contista português.
                                                    Porte um pouco acima do mediano,
                                                    Muito calvo desde que o conheço…
                                                    Bigode, e mosca na zona do queixo,
                                                    Olhar apreciavelmente mundano.

                                                    Afável, bom falante… e de noitadas,
                                                    Resistente na sua condição humana…
                                                    Contador de histórias bem contadas,
                                                    Onde se percebe a saudade africana!

                                                    Fala p´los cotovelos feito um perdido
                                                    Nas mais difíceis condições acústicas,
                                                    Com uma potência de ferir o ouvido;

                                                     Mas não se fica por aqui este figurão…
                                                     Seu jeito e pose lembram o conhecido
                                                     António Maria Silva: “ah grande leão!”
Matias José

                                                       DOIS AMIGOS À CONVERSA

João Regatão versus Dino

                                                             (Preâmbulo)

                                               Com os neurónios a matutar
                                               E sem encontrar explicação…
                                               A história que vos vou contar
                                               Pertence aos anais da ficção.

                                                                   ***

                                              - João, não estejas a inventar…
                                                Mas passou-se mesmo contigo?
                                              - Olha-me, este! É como te digo:
                                                Assim, tal qual estou a contar!

                                              - É preciso grande imaginação...
                                                Ouve, não te estiques muito!
                                             - Não querem lá ver este bruto!?...
                                               Dino, acaso sou aldrabão (?)

                                               - Bebemos a abaladiça?...
                                                Tenho as tripas em reboliço,
                                                Maldito feijão com chouriço!

                                              - E eu aziado… foi da linguiça,
                                                O estômago está com preguiça…
                                                Uma pastilha, e resolvo já isso!

POETA



12 comentários:

Anónimo disse...

De facto és um grande poeta. Demonstraste em poucas palavras o que realmente o JOÃO nos faz admirar nele. Continua a ser um bom vivam com as suas palestras. Que Deus o conserve assim.

Anónimo disse...


Para a AMIZADE, MIL ESTRELAS !

Para o POETA, A EXCELENTE QUALIDADE A QUE JÁ NOS HABITUOU! PARABÉNS !


Para os "aziados", aqui vão 2 dicas:

- Dissolver uma colher (chá) de bicarbonato de sódio, num copo de
água e beber.
O tamanho de copo a usar, deve ser
o de vinho.


- Se por acaso o "brinhol" também teve "culpas no cartório", então deve-se aquecer uma garrrafa de água das pedras em "banho-maria" e beber-se.

Espero que não levem a mal, porque apenas pretendi brincar...

Quanto ás dicas, elas realmente funcionam.

Comam bem e divirtam-se !







Anónimo disse...

SEM TIRAR NEM PÔR

Excelente a poesia, como sempre.

Parabéns.

Tói da Dadinha

Anónimo disse...

Fantástico Matias José!

Anónimo disse...

Não podia estar mais de acordo com todos os comentadores. Descrever assim uma pessoa ou situações caricatas entre pessoas, não é para muitos... mais a mais, em soneto. É caso para se dizer, BRAVO!!!

Anónimo disse...

Muito benvindo!
Excelente, meu amigo.

Versos Diversos

Anónimo disse...

....Ora....Ora
Então não querem lá ver!?
Para além dos "Cantares de Amigo", também aqui são visíveis os favores e os olhares de amigos.
Para o autor dos sonetos, e para o AL Tejo, naturalmente, aqui segue um abraço de "Muxima".

Anónimo disse...

Epá, isto é que é bom e tudo entre amigos. Obrigado, és um senhor POETA!

Anónimo disse...

Isto sim, merecedor de compêndio. Grande malha!

Camões disse...

Agradeço a todos que dirigiram palavras elogiosas sobre os sonetos enviados ao amigo Chico Manuel, e que estão publicados no Altejo.

Quero deixar uma palavra especial para todos os poetas, demais escritores e gente amiga:

Muito tenho aprendido com a sabedoria popular, mais propriamente os poetas populares, e sei o quanto lhes devo.

E eu aprendi muito, mas mesmo muito... tanto, que ainda continuo a aprender.

Sobre umas décimas que enviei a certo amigo, ainda há poucos dias, e que ele opinou sobre um dos versos não fazer muito sentido.

De pronto fiz a emenda, e muito grato lhe fico pelo reparo.

Chamou-me génio.

Génio não sou, respondi eu.

Sou simplesmente este:

(Brevemente publicação no Altejo)

Francisco Tata disse...

No Domingo na habitual rubrica «OS NOSSOS POETAS»
Um abraço
Chico

Anónimo disse...

Agora deixaram-me curioso. O que será? Se for material como o que está postdo, que venha ele.
Duas palavras sobre os sonetos...
Fantástico, POETA Matias José!